Resenha: Amor Verdadeiro, Jude Deveraux

amor-verdadeiro

           Autor: Jude Deveraux – Editora: Essência       Ano: 2016 – Páginas: 464

Classificação 2.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Ambientado numa ilha paradisíaca e um dos romances mais cultuados de Jude Deveraux, best-seller americana que já vendeu mais de 60 milhões de exemplares pelo mundo, o livro conta a história de Alix Madsen. Quando ela está terminando a faculdade de arquitetura, Addy Kingsley, amiga de seus pais, morre. No testamento, a mulher estipula que a jovem tem direito a viver por um ano em sua encantadora casa do século XIX na ilha de Nantucket (Massachusetts), EUA. O relacionamento de tia Addy com a família Madsen é um mistério para Alix, mas ela aceita a oferta e, ao chegar na propriedade dos Kingsley, percebe que não é má ideia passar uma temporada ali. Além de o lugar ser um sonho para qualquer arquiteto, ela conviverá com o charmoso Jared Montgomery Kingsley, dono de um dos mais importantes escritórios de arquitetura do país e sobrinho-neto de Addy, portanto, herdeiro natural da casa. O que Alix não imaginava era que tia Addy tinha um propósito muito específico para ela quando a colocou naquele lugar: solucionar o desaparecimento de Valentina, uma das mulheres da família Kingsley, ocorrido cerca de dois séculos antes. Em meio ao verão na ilha, Alix e Jared serão obrigados a conviver, o que pode ser a chave para desvendar o tal mistério dos Kingsley

“Por um momento, os olhares de ambos se cruzaram, e pareceu a ela que centelhas lhe percorreram o corpo.” 

Nuntucket fica em Massachusetts, é uma ilha e foi palco de uma grande tragédia. A casa dos Kingsley foi o principal cenário do mistério. Caleb Kingsley, um antigo dono, morrera aos 33 anos de idade já fazia duzentos anos, e ainda continuava com a mesma aparência. Sim, ele é um fantasma, mas somente os homens da família chamados Jared Montgomery podiam enxerga-lo, além de outras poucas exceções, como a tia Addy, última dona da casa. Os filhos da família recebiam esse mesmo nome juntamente a um número indicando a sua geração.

A tia Addy acabou falecendo deixando em seu testamento um último pedido: hospedar Alix Madsen, uma amiga da família, na sua casa durante um ano para que ela pudesse desvendar o que aconteceu entre Caleb e sua amada Valentina. Ao que tudo indicava, o fantasma estava preso ali porque, enquanto viva, Valentina havia sumido sem deixar nenhuma pista.

“Ele tinha até 23 de junho, apenas algumas semanas, para descobrir o que havia acontecido com a mulher a quem amava tanto que nem a morte poderia separá-los.” P. 15-16

Trazendo Alix até a casa poderia ser uma oportunidade para resolver todo esse mistério. Ela aceitou, mas o problema era que a garota não sabia o porquê do convite, somente concordou em ir porque sabia que Jared Montgomery (Desta geração) ia muito para a casa na ilha descansar (Ele morava em Nova York) e queria encontra-lo, pois, sendo estudante de arquitetura e Jared um famoso arquiteto (E incrivelmente bonito), viu uma oportunidade de aprender com ele.

“Se eu tivesse permanecido com Valentina, nada disso teria acontecido […].” P. 351

Alix e sua mãe Victoria iam sempre para a ilha quando a garota era menor. Enquanto passavam os dias lá, tia Addy percebeu que a pequena Alix falava com os ventos, por isso suspeitou de que ela conseguia também ver Caleb.

Em meio a toda essa confusão, Alix, sem ter a consciência de que iria até lá para conversar com fantasmas, só tinha olhos para seus trabalhos de arquitetura e Jared Montgomery, que antes era um ídolo, acabou se tornando uma pessoa simples, normal. Ela enxergou o ser humano por trás de todo glamour da fama do homem. Um sentimento parecido foi também despertado em Jared. As mulheres com as quais se relacionavam eram elegantes, finas e ricas. Ele percebia que as mesmas buscavam mais status do que de fato o amor verdadeiro.

Amor Verdadeiro é narrado em terceira pessoa e prende com facilidade o leitor. Posso admitir que até eu encontrei dificuldade em assimilar tudo de uma vez ao ler a sinopse ou resenhas sobre o livro, mas isso não causa problema, pois o leitor vai se familiarizando com todos os segmentos da narrativa a medida que a história se sucede.

O enredo não me cativou completamente de início, mas a leitura é muito gostosa. A autora soube criar expectativas que são atendidas. Tudo vai se encaixar no final. Acho interessante destacar que, mesmo que o livro não foi dividido em partes I e II, eu senti que elas estavam presentes, pois no primeiro momento da narrativa, tudo envolvia o desenrolar do romance entre Jared e Alix, somente após essa conciliação o segmento da história que envolve o mistério entre Caleb e Valentina é aprofundado.

Um ponto negativo que me incomodou muito foi a capa, onde há um casal loiro de abraçando, sendo que os principais têm na verdade cabelo castanho e ruivo.

Pelo mais e pelo menos, eu recomendo esse livro se você está a fim de ler um romance com uma pegada sobrenatural, mas sem aquele tipo de tensão muito “mágica” proporcionada pelas fantasias. Como a história se desenvolve em uma ilha, o clima é muito gostoso. Temos direito a passeios pelas praias, pelas ruas durante a manhã, quando o ventinho ainda é gelado, e também idas e vindas a casas de velhos amigos. Garanto risadas!

assinatura nova luiza

Leitura a dois: A história de nós dois, Dani Atkins

a-historia-de-nos-dois

         Autor: Dani Atkins – Editora: Arqueiro                  Ano: 2016 – Páginas: 352

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada.

Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse.

Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal.
Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou…

Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?

” A sensação era de que nada nem nenhum de nós jamais ficaria bem de novo, ambos sabíamos disso. E eu tinha a forte suspeita de que no momento em que deixássemos os limites do hospital, a situação ainda a pioraria.”

Hoje a resenha é um pouco diferente. Nós fomos convidados a fazer uma leitura à dois com o o blog Maravilhosas Descobertas. Eu e a Dara lemos o mesmo livro durante o mesmo período e além de ser super legal, porque eu tive com quem compartilhar as alegrias e tristezas, nós agora vamos responder cinco perguntas sobre ele e de quebra vocês conhecem a história em um formato diferente.

Bora lá!


Para começo de conversa, do que se trata a história?

O livro conta a história de Emma, uma londrina de 27 anos que está prestes a se casar com Richard, seu namorado da época da escola. Tudo muito lindo até que na volta para casa da despedida de solteira com suas duas amigas, elas sofrem um acidente horrível e Emma fica presa nas ferragens… Quando tudo parece perdido, um estranho aparece e ajuda Emma a sair do carro segundos antes dele explodir. Jack, o estranho alto, forte e moreno sensual, salva a vida de Emma e fica ao seu lado por horas até que Richard chegue no hospital. O que ninguém imaginava é que a relação de Emma e Jack se tornaria muito íntima. Seria porque Jack é lindo e bancou o super héroi? Ou porque Emma não estava satisfeita com suas escolhas e o acidente abriu seus olhos?

Bom, mas outras coisas acontecem para fazer o mundo de Emma virar de ponta cabeça. Após o acidente, alguns segredos são revelados e o casamento de Emma é cancelado. Surge um triângulo amoroso, mas nada clichê.  A história intercala o passado e o futuro e descobrir o que Emma estava fazendo enquanto relembrava essa história me deixou doidinha.

O que você achou da escrita da autora no decorrer do livro, e como ela soube usar isso à seu favor? 

Quem leu ” Uma curva no tempo” sabe como Dani Atckins pode ser destruidora de corações e eu li com medo.  Mas ao contrário de ‘ uma curva no tempo’, esse livro não me pegou de surpresa. Claro, eu fiquei vidrada na história, porque a trama não envolve só um triângulo amoroso, ela vai além.  A mãe com alzheimer vai ficar bem? Emma vai perdoar as melhores amigas depois dos segredos que descobriu?  E voltando para o triângulo amoroso, apesar de Jack ter todo aquele frescor de um novo amor, Emma se esforça para pensar com clareza e analisar seus setimentos por Richard.

Que mensagem você crê que a autora quis passar com sua história?

Sem dúvidas é uma história de amadurecimento e descobrir o que realmente quer para a vida. ( E também  que os livros dela são tristes e vão te deixar mal de qualquer jeito hahahah…)

E com essa mensagem, que aprendizado você agregou em sua vida?

Que nem sempre o fácil ou o confortável é o que devemos escolher para nossa vida.

Para finalizar, qual trecho do livro lhe chamou mais atenção, e por quê?

” Não sou aquilo que você precisa na sua vida agora, Emma. Mas, que Deus me ajude, eu estou usando cada grama de força que tenho para não puxá-la em meu braços e apagar a lembrança de qualquer homem que um dia você possa ter beijado”

Que que isso heim meu senhor! Como falar não para um homem que te diz isso? * me beija*  <3  Mas falando sério, teve outra frase que impactou, porque é muito real e em algum momento da vida nós nos deparamos com uma situação assim:

” Mas as vezes o inconcebível, por mais deplorável que seja, vem ser a verdade.”

separador

Espero que vocês tenham gostado e claro, visitem o blog Maravilhas Descobertas, é um blog super antenado com assuntos variados.

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Quantum Break, Cam Rodgers

quantum-break

 Autor: Cam Rodgers – Editora: Outro Planeta                  Ano: 2016 – Páginas: 384

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Jack Joyce passou seis anos tentando escapar. Escapar da vida, do tempo, da loucura de seu irmão, Will. Mas quando ele finalmente volta para casa, descobre que seu irmão não era louco como ele imaginava. Will criou uma máquina do tempo, com o potencial de salvar a humanidade. Guerras? Agora podem ser previstas. Desastres naturais? Podem ser evitados.
Só há um pequeno problema… sua máquina também vai causar o final do tempo, tal como o conhecemos. Agora Jack te apenas uma chance de voltar ao passado, de consertar o que está errado e de salvar o mundo.
‘Quantum Break: estado zero’ é o romance oficial do game de mesmo nome, dos mesmos criadores de Max Payne e Alan
Wake, conhecidos por transformar suas produções em verdadeiros filmes de ação, com atores conhecidos e efeitos especiais de última geração.

[…] eu queria o máximo de tempo possível para construir algo que nos ajudaria a desafiar o fim do mundo, o fim do tempo, sobreviver a ele (P. 91).

Seis anos haviam se passado. Seis. E agora Jack Joyce voltou para sua cidade natal a fim de encontrar Paul Serene, um velho amigo, e escutar o que ele tem a lhe dizer. Paul enviara um e-mail a Jack alegando que Willam Joyce, irmão de Jack e um grande físico, parecia estar enlouquecendo. Aproveitou e disse que precisava mostrar algo que mudaria sua vida. 

  Os pais dos garotos faleceram quando eram ainda bem jovens, caindo sobre Will toda responsabilidade sobre o irmão mais novo. O fato desencadeou algumas discórdias entre os dois e uma delas envolvia o motivo pelo qual Jack se mantivera afastado por tanto tempo: o projeto que seu irmão estava ajudando a desenvolver.

Projeto Passarela era uma máquina investido por Paul Serene através da Monarch Solutions, um centro de pesquisa, com a possibilidade de viajar no tempo. A intenção do projeto era prever e evitar todo tipo de destruição que a humanidade possivelmente enfrentaria. Antes de Will, outro físico trabalhava no projeto, mas este morrera de maneira misteriosa. Sem saber o porquê, o Will se voltou contra a pesquisa pela qual trabalhou a vida inteira e Paul então o via como uma ameaça que precisava ser eliminada o mais rápido possível. Jack fica dividido entre seu melhor amigo e seu irmão, passado e presente, vingança e amor.

   A Monarch não existe para mudar o futuro… existe para nos ajudar a sobreviver a ele (P. 154).

  Em Quantum Break a focalização da narrativa é externa, ou seja, em terceira pessoa. A linha dos eventos traçam uma trajetória recheada de ação, tanto que praticamente tudo transcorre durante um dia inteiro, começando pelas 4 da manhã! Os poucos momentos em que conseguimos respirar são para nos aprofundarmos melhor no enredo. Conhecemos melhor Paul Serene e Sofia Amaral, seu par romântico e também brasileira, também Zed, September e Beth. 

  Confesso que achei que odiaria o livro quando comecei a ler. Pensei comigo mesma que a leitura poderia ser muito complicada e cansativa, ainda mais tratando de ficção científica (Ainda mais ainda de um game!). Mas quando não, a história me envolveu tanto que assisti a games play e resenhas do jogo e senti vontade de jogar! Não tenho o jogo e não posso fazer comparações, mas é certo de que o livro trouxe muitas informações valiosas que não contém no game. Vale a pena ficar por dentro!

  Cam sugeriu  incluir algumas informações e conceitos que estavam presentes nos primeiros rascunhos da história (Sam Lake, Prefácio).

  Por fim, assistam ao trailer do jogo aqui embaixo. Dá vontade de saber mais sobre o mundo de Quantum Break? Sim ou com certeza?

assinatura nova luiza

Resenha: Nem tudo será esquecido, Wendy Walker

nem-tudo-sera-esquecido

     Autor: Wendy Walker – Editora: Planeta                 Ano: 2016 – Páginas: 288

Classificação 3.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Um dos suspenses psicológicos mais elogiados nos Estados Unidos Tudo parece perfeito na pequena Fairview, em Connecticut, até a noite em que a adolescente Jenny Kramer é violentada durante uma festa. Nas horas posteriores, ela é medicada com uma droga controversa para que as memórias da violência sejam apagadas. Mas, nas semanas que se seguem, enquanto se cura das dores físicas, Jenny percebe que guardou nuances daquela noite. O pai, obcecado por sua incapacidade de descobrir quem abusou de sua filha, busca  justiça, enquanto a mãe tenta fazer de conta de que o crime não abalou seu mundo cuidadosamente construído. Segredos da família e do círculo próximo começam a vir à tona durante a busca incessante pelo monstro que invadiu a comunidade – ou que talvez sempre tenha estado lá –, guiando este thriller psicológico para um fim chocante e inesperado.

“A música tocava muito alto, e ela a teria ouvido da cena do ataque. A playlist estava cheia de mega hits pop, aqueles que ela disse que conhecia bem, com letras do tipo que grudam na cabeça. Mesmo com a música e as risadas que escapavam pelas janelas abertas, ela teria ouvido os outros sons mais próximos, os suspiros sórdidos de seu agressor, suas próprias súplicas guturais”

Jenny é uma garota de 16 anos, tem cabelo loiro comprido, olhos azuis, é esbelta e atlética, ela tem sardas e uma pequena covinha do lado direito da boca. Mora com os pais, Tom e Charlotte, e com o irmão mais novo, Lucas. Em uma noite, que prometia ser melhor que qualquer outro momento de sua vida, ela vai à uma festa.

Havia sido convidada por Doug, mas quando chega lá, encontra ele com outra garota. Desiludiada, Jenny começa a beber sem controle. Depois de passar mal, fica com vergonha de sua atitude e chorando corre para fora da festa, direto para o meio da mata.

Então, o pior acontece: Jenny é estuprada. Após uma hora de violência, tinha sido encontrada por um casal de namorados largada com o corpo esgotado no chão sujo, ela foi salva. Seus pais decidem que o melhor a fazer é autorizar um tratamento para induzir a amnésia anterógrada limitada de acontecimentos traumáticos.

“Não havia emoções ligadas à voz dele nem emoções positivas de ser salva. Eu tinha o poder de dar essa explicação e, ainda assim, não podia, porque eu precisava que ela ficasse com essa teoria, com a falsa memória, mesmo que eu fingisse convencê-la do contrário. Fechei a boca e engoli as palavras. A verdade.”

Quando acorda, Jenny não lembra-se de nada, fica apenas um vazio, além das cicatrizes físicas, incluindo um entalhe nas costas, um machucado feito com um graveto pelo agressor. O detetive Parsons assume o caso sem muito sucesso, o estuprador usou camisinha, havia se depilado e usado luvas, não havia nenhum rastro para seguir.

Num ato de desespero, Jenny resolve por fim à vida e corta os pulsos. Ela é socorrida por sua mãe e seu amante. Após esse incidente, Charlotte, Jenny e Tom começam a fazer tratamento individualmente com o psiquiatra Alan. Nas sessões, Jenny tenta relembrar o que aconteceu naquela noite. Segredos são revelados, como o caso de Charlotte com Bob, dono da concessionária e chefe de seu marido Tom.

Em meio ao tratamento da família, o psiquiatra Alan também cuida do paciente Sean, um ex-fuzileiro naval, que também havia sido submetido ao tratamento para induzir a amnésia, após ter perdido um companheiro de trabalho e o próprio braço durante um ataque com bomba. Jenny e Sean começam a frequentar um grupo de terapia de vítimas de trauma, e ficam mais próximos.

“Um paciente senta diante de você. Ele perdeu o braço em combate. Ele perdeu a memória do combate. Ou, mais precisamente, ela foi tirada dele. Agora ele perdeu a si mesmo para sua própria mente. Esse homem não é merecedor de seu tempo?”

Surgem duas pistas, um Honda Civic azul foi visto parado perto da mata na hora do atentado, e um rapaz usando um casaco azul estampado com um pássaro vermelho foi visto entrando na mata. Ao mesmo tempo, Jenny começa a ficar cada vez mais próxima do que realmente aconteceu, surgem como suspeitos o chefe de seu pai Bob e o filho do psiquiatra Jason. Ela segue na ânsia por justiça, tentando achar em sua memória o motivo da sua dor.

Nem tudo será esquecido é uma narrativa do psiquiatra Alan do que se passa em seu consultório, na vida dos personagens e em sua vida desde o atentado, o que nos dá a sensação de como é o tratamento de pessoas que passam por traumas.

Toca de forma delicada no assunto estupro, e em como não só a vítima, mas toda sua família sofrem com o ocorrido. Mostra também que apagar da memória o trauma não é a melhor coisa a se fazer, que o melhor é enfrentar os monstros em nossa cabeça e superar os problemas, mesmo sendo difícil vencer um trauma.

“Só quero que isso acabe.

Ela repetiu isso entre fungadas e lágrimas.”

Noventa por cento do livro acontece dentro do consultório de Alan, e através do tratamento, cada personagem vai enfrentando seus monstros e descobrindo seu verdadeiro eu. A história segue com o objetivo de encontrar o estuprador, e eu tive meus palpites, mas no final é alguém que nem imaginamos, e o leitor descobre que o psiquiatra e a paciente Jenny tem monstros iguais.

Plus: O livro será adaptado para o cinema e a diretora será a talentosa Reese Witherspoon em parceria com a Warner Brothers. Vale lembrar que Reese foi uma das responsáveis pelo sucesso da adaptação de “Garota Exemplar”.

É um livro interessante, eu indico a leitura! Beijocas!

assinatura nova tábata

C.L #34 – Livros com maternidade

No dia das mães a Tábata fez uma postagem super legal de livros com diferentes tipos de mães. A ideia foi tão boa que resolvi trazer mais livros com mães na história, e olha que são boas indicações heim!

Confere nossa lista:

Um mais um – Jojo Moyes

um-mais-um-jojo-moyes-livro-capa

5 ⭐️ “A leitura de Um mais um foi uma grata surpresa. Mesmo que a trama não tenha me surpreendido completamente, o alto teor emocional do livro me pegou desprevenida; não esperava que a obra, de aparência leve e superficial, fosse tão emocionante – e não uma emoção melodramática, mas uma chuva de sentimentos especiais e verdadeiros. Assim, o que realmente me encantou foi que através da leitura eu ri, chorei, suspirei e aprendi valiosas lições. Além disso, também me espantei com a capacidade da autora em descrever um cenário comum a milhares de mulheres: mulheres que precisam fazer o papel de mãe e pai, mulheres batalhadoras que lutam diariamente para pagar as contas e colocar comida na mesa, e mulheres que, mesmo constantemente pisoteadas pelas dificuldades do dia a dia, mantêm a esperança de uma vida melhor e de um futuro brilhante para os seus filhos.” Resenha completa no blog Livros & Fuxicos

Pequenas grandes mentiras- Liane Moriarty

pequenas-grandes-mentiras-liane-moriarty

4 ⭐️ ” Mistério e suspense são o foco da história. Ele é narrado em terceira pessoa, contando o ponto de vista de três mulheres. Amigas, moradoras do mesmo bairro e com filhos pequenos que estudavam na mesma escola. As três protagonistas contam suas histórias e mostra o dia-a-dia de cada uma. Porém o livro é sobre um assassinato que ocorreu na escola em uma noite de evento apenas para os pais e a investigação policial que acontece. Ele é retroativo. Inicia a trama três meses antes do episódio e existem muitos coadjuvantes, o que torna a história mais interessante, mostrando outros pontos de vista.” Resenha completa no blog Uma paixão chamada livros 

Primatas da Park Avenue – Wednesday Martin

primatas-da-park-avenue

4 ⭐️ “Entrar em um mundo desconhecido. Foi essa a sensação experimentada por Wednesday Martin ao se mudar com o marido e o filho bebê para o Upper East Side, em Manhattan. E é dessa mesma sensação que nós, leitores, provamos grandes bocados ao acompanhar a verdadeira jornada épica urbana vivida e descrita pela autora em Primatas da Park Avenue.
Após deixar Downtown para se instalar no bairro nobre localizado entre o Central Park (5th Avenue) e o East River, e uma das regiões mais caras dos Estados Unidos, Wednesday inicia uma árdua fase de adaptação, que inclui a tentativa – necessária – de se integrar ao seleto grupo de mães da região. Em paralelo, estuda e analisa os hábitos, rituais e valores de uma tribo que se veste de Chanel e se equilibra em saltos altíssimos.” Resenha completa no blog Livro Lab

A filha perdida- Elena Ferrante

untitled4 ⭐️ ” Gostei de como a autora demonstrou como as mães, muitas vezes, não são vistas como “pessoas” – com desejos, sonhos e vontades; mas como uma função: a função mãe. Muitas vezes, nós filhos, não pensamos no quanto os nossos pais abdicaram em nossa causa; ou mesmo os sonhos e vontades que eles possam ter abandonado por nós. 
Através de personagens imperfeitos, Elena Ferrante sutilmente traduz em as palavras os desafios da maternidade e as perguntas que provavelmente vão atormentar os espíritos de todos nós, pelo menos uma vez – a busca por quem somos. Apreciei a leitura; é um bom livro para se ler em uma tarde de domingo. Não é exatamente o que eu esperava, mas ainda assim apreciei a escrita da autora.” Skoob 

Fala sério mãe – Thalita Rebouças

fala-serio-mae

4 ⭐️ ” Angela é o tipo de mãe superprotetora e coruja, enquanto malu quer ter mais autonomia e espaço, o que não consegue sem muito esforço.  Angela não suporta o fato de sua filhinha querer espaço, é ela quem narra a primeira metade do livro que confesso, foi a parte que mais gostei, Angela é super sem noção e superagitada, ela quer dar para Malu tudo o que não conseguiu ter mas não consegue entender as vontades da filha e acaba sufocando a coitada. Tudo bem, ela é mãe, mas mesmo assim eu tive que tirar uma estrela do livro, a primeira metade do livro eu entendi a visão dela com a filha de 12 anos, mas ela continua tratando a malu como um bebê com 21 anos.” Resenha completa no blog Uma leitora voraz

Crianças francesas não fazem manha – Pamela Druckerman

crianças francesas não fazem manha

4 ⭐️ ” O livro conta a história da própria autora, Pamela Druckerman uma americana, ex-repórter do The Wall Street, que muda para a França com seu marido e lá acaba constituindo uma família completa: mãe + pai + 2 filhos. Na França ela começa a notar que as crianças obedecem os pais de uma forma nunca antes vista, não fazem drama nas refeições, não interrompem os adultos em uma conversa e o principal: as mães continuam sendo esposas, mulheres, elas não largam toda sua vida para viver em função dos filhos e não sentem culpa por isso.” Resenha completa aqui no blog

Para sempre Alice -lisa genova

PARA_SEMPRE_ALICE_143104016325555SK1431040163B

4 ⭐️ ” Parece inacreditável e cruel. Uma mulher, ainda jovem, professora com tanta influência, ávida por conhecimento – receber um diagnóstico de uma doença degenerativa e incurável assim. É difícil para Alice e para o leitor também, através de uma narrativa em terceira pessoa, observamos a evolução da doença bem como a reação da família diante disso. E por um lado, se foi triste observar por fora os acontecimentos que tomaram uma vida inteira da Alice, por outro foi bonito acompanhar o zelo e carinho da família, principalmente a compreensão da filha mais nova, com quem já teve tanta discordância com a mãe e ainda mais quando a mesma já deixou de reconhecê-la. Isso é amor.” Resenha completa no blog Um amor de livro

As próximas três indicações não são com mães protagonistas, mas são mães que fizeram grande diferença na história.

Não Pare!, FML Pepper

não pare!

4 ⭐️ ” Esse livro conta a história de Nina, uma adolescente muito azarada que muda de cidade e País como quem troca de roupa. Sua mãe nunca disse o porque, mas era só acontecer algum acidente com Nina que lá vão elas fazer as malas. Quando elas se mudam para Nova York as coisas parecem melhorar e sua mãe promete que elas não vão precisar se mudar mais! Uhul, olá vida normal! Bom, nem tão normal já que a Nina continua sofrendo acidentes e pior, sua mãe desaparece.” Resenha completa aqui no blog 

A garota perfeita, Mary Kubica

A_GAROTA_PERFEITA_1460065253576750SK1460065253B

4 ⭐️ ” A história central é sobre o sequestro de Mia, uma jovem de 25 anos e filha de um famoso Juiz. O livro é narrado em primeira pessoa por três personagens: Eve, a mãe de Mia, o detetive do caso Gabe Hoffman e o sequestrador Colin Thatcher.  Conhecemos pelo ponto de vista da Eve como foi a criação de Mia, com a família está desmoronando e como foi difícil a relação da filha com o pai. Pontos de interrogação começam a surgir…Outro ponto interessante é como as pessoas sem comportam durante a trama. Eve  se afunda em culpa e a cada dia se martiriza por ter sido uma mãe relapsa.” Resenha completa aqui no blog

A Menina da Neve, Eowyn Ivey

a-menina-da-neve

3.5 ⭐️ ” A história se concentra no casal Jack e Mabel que se mudam para o Alasca para começar uma nova vida após um aborto que Mabel sofreu. Lá eles se isolam do mundo e tentam sobreviver em meio a neve e a solidão. A relação do casal está desgastada e bem no começo do livro Mabel tenta cometer suicídio. Então, durante uma nevasca, o casal constrói um boneco de neve e fingem que ela é uma menininha. Mabel veste a menina de neve com luvas e cachecol vermelhos e Jack desenha um rosto delicado. Nos dias seguintes os dois encontram pegadas infantis e acabam encontrando uma criança, uma menininha usando as roupas que eles colocaram no boneco de neve.” Resenha completa aqui no blog

separador

Gostaram? Tem indicações também? Conta aqui e vamos aumentar a lista de livros desejados! rs

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

C.L #33 – Livros que abandonamos

Nada mais triste do que começar uma leitura cheio de expectativa e aí pá, a leitura é completamente diferente do que você imaginava. A história não desenrola, os personagens te irritam, você fica com preguiça de ler, e como último suspiro você abandona a leitura.

Não se sinta sozinho! É muito comum acontecer isso. Todo leitor já vivenciou essa situação, e para evitar futuras decepções, fizemos uma lista com os livros que abandonamos. Confere e chora com a gente!

Jasper Jones – Craig silvey

jasper-jones

Tentei. Tentei três vezes mas não deu. Até dei o espaço de um ano mas mesmo assim não consegui seguir com a leitura. Daí eu pulei para o final porque precisava saber o desfecho, fiquei super confusa e só piorou hahah…mas olha me surpreendi quando revelaram o assassino. Não recomendo esse livro, a leitura é muito massante, falta emoção na história. Uma pena.

Os bons suicidas – toni hill

os-bons-suicidas
Eu queria tanto ler esse livro, a trama parecia ser envolvente, um romance policial que me prenderia. Só que não. Outro livro com uma história parada, sem graça e que não aguçou minha curiosidade. A capa é super legal, mas a história deixou a desejar. Não recomendo.

Cidade dos ossos

cidade_dos_ossos

Esse aqui vou ser bem sincera, eu já tinha visto o filme e estava assistindo a série então nem sei porque inventei de ler o livro, nem ia ter emoção, eu já sabia tudo o que ia acontecer. Ok, os detalhes são diferentes, alguns personagens que não existem no livro aparecem na TV, mas mesmo assim não teria novidades. E eu me arrependo muito, porque eu tenho certeza que teria adorado a saga se a TV não tivesse me atrapalhado.

Fiquei com seu número

fiquei-com-seu-numero

Então né. Muito água com açúcar para mim, muito menininha. Eu amo distopia e suspense, então esse livro tinha grandes chances de ser abandonado, e olha que coisa, foi o que aconteceu!

A sereia – kiera cass

a-sereia

Gente, que livro estranho, mal escrito e com enredo fraco. Justo quando eu resolvo me entregar aos encantos de Kiera Cass eu pego o livro errado. Que conversa é essa das sereias não terem cauda? Que negócio é esse de surgirem vestidos no corpo quando as sereias mergulham? Que negócio é esse das sereias viverem em terra firme e cursarem a faculdade? Não deu. Ariel quase engoliu água depois dessa.

Cinquenta tons mais mais escuros – E. L. James

Por Tábata Mendes

cinquenta-tons

Eu li a saga Crepúsculo e amei, então surgiu o livro Cinquenta Tons de Cinza, que é uma fanfic da saga, e gostei! E curiosa fui pro segundo livro Cinquenta Tons Mais Escuros. A história me cansou, não sei se não estava no clima de ler esse gênero, ou se a personagem principal Anástacia me irritou, enfim, a autora não conseguiu prender a minha atenção. Ele tá lá na minha estante, quem sabe um dia eu dê uma segunda chance!

A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera.

Blog Bibliotecária Leitora 

a-insustentavel-leveza-do-ser

Comecei a ler A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera. É muito bom, bem melhor do que eu imaginava ser. E na verdade, bem diferente do que eu imaginava  rsrs  Abandonei porque estava me deixando um pouco pra baixo. Claro que voltarei a lê-lo mais pra frente. Afinal é um livro bem comentado e que acredito que vá me acrescentar alguma coisa.

separador

E vocês, tem uma lista de abandonados também? Conta aqui e vamos distilar o veneno juntos hahah

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Cilada, Harlan Coben

cilada_harlan-cobe

           Autor: Harlan Coben – Editora: Arqueiro                Ano: 2010 – Páginas: 272

Classificação 3.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Haley McWaid tem 17 anos. É aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Por isso, quando certa noite ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que se tenha nenhuma notícia dela, todos na cidade começam a imaginar o pior.
O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, ele é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida.
Na junção dessas duas histórias está Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan e que se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou apenas nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse culpado. Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente.
Nas investigações da morte de Dan e do desaparecimento de Haley, verdades inimagináveis são reveladas e a fragilidade de vidas aparentemente normais é posta à prova. Todos têm algo a esconder e os segredos se interligam e se completam em um elaborado mosaico de mistérios.
Harlan Coben mais uma vez deixa o leitor sem ar. Cilada fala de culpa, luto e perdão em uma trama repleta de reviravoltas surpreendentes. Nada é o que parece e tudo pode ser desfeito até a última página.

” Era impossível afastar a sensação de perigo iminente. Cada passo me custava certo esforço, como se eu estivesse pisando em cimento fresco. O corpo dava todos os avisos:frio na espinha, pelos eriçados nos braços, arrepio na nunca e no couro cabeludo”

Eu li esse livros duas vezes. DUAS VEZES! A primeira foi em 2011 e lembro que não gostei do livro, daí anos depois, exatamente dois meses atrás, eu estava olhando minha estante a procura de livros não lidos e encontrei ele. Eu sabia que já tinha lido mas não lembrava do final. O pior é que quando vim escrever a resenha, eu percebi que esqueci o final de novo! Gente como pode? hahaha

Mas já lembrei, calma, calma!rs E o lado bom é que dessa vez eu gostei do livro. Sou bem instável mesmo, me deixa hahah

Esse livro é interessante porque além de ter aquele suspense de ” quem matou?”, nós vemos várias histórias que parecem não ter conexão, mas que no fim tudo se encaixa. Gosto muito de livros assim. #AdoroSuspense 

Na história conhecemos Dan, um assistente social e treinador do ensino médio que cai numa ” cilada” e é acusado de pedofilia. Ao mesmo tempo temos o desaparecimento de Haley, uma adolescente da mesma escola que Dan trabalha. No meio disso, conhecemos a repórter sem escrúpulos Wendy Tynes, ela tem um programa sensacionalista que desmascara pedófilos, ela cria situações para que eles sejam pegos no flagra.

” A realidade, Marcia agora sabia, era que os bandidos mais idiotas conseguiam escapar ilesos depois de cometerem crimes hediondos. A realidade era: ninguém estava seguro”

Dan é liberado das acusações mas sua carreira e sua vida vão para a sarjeta. Ele passa a viver sem endereço, se escondendo e sofrendo ameaças…até o dia que ele é assassinado. Durante as investigações novas provas surgem, segredos são  revelados de pessoas que até então eram inocentes, a própria Wendy tem a reputação posta a prova ( bem feito!) e o quebra cabeça do desaparecimento de Haley e a acusação de Dan tem um desfecho inimaginável ( nossa que palavra difícil de escrever e falar rs).

” – Seja lá o que você estiver pensando, seja lá qual for a verdade para você, uma coisa é certa.
– O quê?
– Você causou a morte dele”

Como fala na sinopse, nesse livro nada é o que parece. Eu fiquei surpresa com o final. Harlan Coben sendo Harlan Coben né gente. 

” Eu sabia. Todos nós escondemos, não é? Ninguém conhece tudo sobre outra pessoa. Sei que é um grande clichê, mas a verdade é que nunca conhecemos o outro de verdade”

Uma observação pessoal:

No livro é discutido o consumo de álcool & adolescentes. A escola é contra o consumo, seja no baile de fim de ano ou em casa, já que alguns pais compram bebidas para os filhos darem festas em casa. Na cabeça desses pais o pensamento é: nós sabemos que eles vão beber, então já que vão beber, que seja dentro de casa sob nossa supervisão.

Isso é um assunto que não fica apenas na ficção, nós vivemos isso todos os dias. Por algum motivo os jovens acham que ficar bêbado é uma coisa SUPER legal. Não é. Mesmo que alguns parem de beber, muitos outros se tornam dependentes do álcool ou pior, sofrem acidentes. E infelizmente não dá pra saber o rumo que cada um vai tomar. Eu nunca vi uma história com final feliz de pessoas que se tornarem dependentes de álcool. Famílias são destruídas por causa disso.

Mas peraí, eu tanto bebo viu! Adoro tomar um vinho e uma caipirinha. Mas o importante é não perder o controle, perder a memória ou precisar disso todos os dias.  E os pais tem um papel importante na fase em que os adolescentes descobrem o que é o álcool. Essa conversa de ” já que vai beber, bebe aqui em casa” é besteira. Eu posso rezar um terço aqui sobre esse assunto, mas não quero ser mais chata do que já fui até agora rs. Só repito o que eu disse: Famílias são destruídas por causa disso, não espere acontecer um acidente para tomar consciência disso.

E voltando ao livro, recomendo ele sim! Quem é fã de suspense e livros policias vai adorar!

E fico aqui aguardando o comentário de vocês!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: A última dança de Chaplin, Fábio Stassi

a-ultima-danca-de-chaplin

Autor: Fabio Stassi – Editora: Intrinseca              Ano: 2015 – Páginas: 224

Classificação 2.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Combinando elementos reais com ficção, A última dança de Chaplin conta os últimos anos de um dos maiores ícones do cinema americano. Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. O famoso ator está com oitenta e dois anos, mas ainda não se sente preparado para ver as cortinas se fecharem uma última vez. Desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida.

Enquanto espera o encontro fatídico, Chaplin escreve uma carta para o filho, contando a ele seu passado: da infância pobre na Inglaterra, com o pai alcoólatra e a mãe louca, ao auge do sucesso nas telas de cinema dos Estados Unidos, passando pelo circo, pelo vaudeville e por empregos estranhos, como tipógrafo, boxeador e embalsamador.

” Quando eu contar a minha história, eu dizia a mim mesmo, começarei daí. Do momento em que a manivela do projetor começa a girar”

O que eu conheço do Chaplin é a fama, até porque nunca assisti seus filmes ou biografia, e para minha surpresa, olha eu lendo um livro sobre a vida dele! Ok, é uma ficção, mas algumas passagens são reais.

Minha relação com o Chaplin é um pouco confusa, porque eu sempre fiquei boquiaberta com sua inteligencia e criatividade, mas quando descobri que ele foi acusado de estupro, hum, sei lá, sabe?

” Com as mulheres nunca fui tímido. Cresci na promiscuidade dos teatros, no meio de centenas de corpos de atrizes e cantoras que se despiam juntas entre um número e outro”

Mas vamos falar da obra, não do homem.

” Nunca contei isso a ninguém. Ouça bem.”

O livro é uma carta de Charlie para seu filho adolescente. É noite de Natal e Charlie sabe que dessa vez não conseguirá fazer a morte rir. Como ele não poderá ver seu filho crescer, ele decide escrever uma carta contando sua vida e talvez com isso seu filho possa conhecer melhor o pai.

A carta começa do nascimento até a noite em questão. Pouco fala sobre os filmes, o foco é na vida pessoal, infância, a ida para os Estados Unidos, a relação com os pais e o irmão, sua vida no circo e os encontros com a Morte no fim da vida.

” A morte desaparece da poltrona. O homem se apoia com dificuldade na escrivaninha e solta um grande suspiro de alívio”

” Sim, quantas vezes nascemos na vida? Tantas que precisamos logo aprender a nos criarmos sozinhos, a não parar de nascer.”

Chaplin sempre foi um espirito livre, não conseguia ficar no mesmo lugar e no mesmo emprego por muito tempo, por esse motivo ele já passou por vários estados e países e por todas as profissões possíveis, de palhaço de circo a embalsamador. Mas ele sempre voltava para o teatro, sua grande paixão. Chaplin era desapegado até do seu irmão, seu único vínculo familiar, já que seu pai morreu e sua mãe estava internada com alzheimer. Ele abandou o irmão e caiu no mundo sem nenhum ressentimento.

E como todo ator na década de 50 e 60, ele era pobre de maré de si. Pobre de não ter o que comer e usar a mesma roupa por semanas…de alugar quartinhos em hotéis precários. Mas ele nunca perdeu a vontade de viver ou amaldiçoou sua condição. Ele parecia estar satisfeito com a vida que tinha.

” A vida me fez baixo suficiente para que eu não precise me ajoelhar diante de ninguém”

O livro tem passagens muito interessantes, fala sobre a época que o cinema foi inventado e como isso abalou o teatro e o circo e fala também como os filmes eram produzidos.

A leitura desse livro foi um pouco estranha, eu tinha preguiça de ler mas quando retomava ia longe…eu parava e no dia seguinte enrolava para ler, e essa situação durou três semanas. Sei lá, nunca senti isso antes, por isso fica na dúvida se recomendo ou não.

Comentem a opinião de vocês! Alguém aqui é fã do Chaplin? 

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: A Era da Curadoria, Mario Sergio Cortella e Gilberto Dimenstein

a-era-da-curadoria-o-que-importa-e-saber-o-que-importa

Autor: Mario Sergio Cortella e Gilberto       Dimenstein –  Editora: Papirus 7 mares                Ano: 2015 – Páginas: 128

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

O acesso cada vez maior à tecnologia permite hoje que informações de toda sorte cheguem até nós das mais diferentes formas. Num momento em que todos podemos ser, ao mesmo tempo, leitores e autores, surge a necessidade de saber selecionar no meio do caos aquilo que, de fato, tem relevância e credibilidade. Afinal, em que prestar atenção? O que realmente importa? Mario Sergio Cortella e Gilberto Dimenstein levam a debate neste livro a ideia de curadoria do conhecimento. Em bate-papo instigante, eles apresentam esse novo conceito e iluminam vários aspectos de nossa cidadania. Pois, como apontam aqui, a formação continuada para a prática da curadoria, isto é, da socialização e mediação dos saberes, torna-se fundamental nesta nova era, seja nas escolas, seja nas empresas ou nos meios de comunicação, como forma de empoderamento do indivíduo.

” Pois para ser educador, é preciso ser otimista. O Educador tem que acreditar no poder de transformação pela palavra.”

cortella-dupont

Foto do dia da palestra. Eles não iam tirar foto e eu fui obrigada a fazer isso hahaah

Eu sempre ouvia falar do Cortella, mas eu nunca procurei saber quem era…que vergonha admitir isso. Mas tudo mudou quando ele e o Gilberto Dimenstein  foram na empresa que trabalho fazer uma palestra sobre esse livro. Eu odeio palestras porque sempre sinto um sono absurdo e para minha surpresa eu fiquei ligada do começo ao fim absorvendo tudo o que eles falavam.

É como se minha vida tivesse se dividido em antes e depois do Cortella.

Para quem não conhece esses mocinhos, eu apresento: O Gilberto é o fundador do catraca livre e o Cortella é  educador e filósofo. Ambos são mestres no que fazem. O Gilberto tem um trabalho incrível no site, com assuntos diversos e informações enriquecedoras. O Cortella começou a carreira como professor, já foi secretário Municipal de Educação de São Paulo, escreve livros sobre filosofia, e é sempre visto como referência quando se fala sobre educação. Os caras entendem do assunto ou não?rs

” Usei de propósito a expressão ensinar porque ensinar, ou insignare, significa ‘deixar uma marca’, ‘gravar alguma coisa em alguém’, ‘deixar um sinal’, por isso insignia, a percepção de que se marca algo em alguém”

Na minha opinião esse livro é voltado para educadores. Todos que desejam atuar na área da educação devem ler esse livro! Até mesmo blogueiros. Nós não estamos na sala de aula mas transmitimos informações e conhecimento.

” Vivemos em uma época em que todos são ao mesmo tempo consumidores e produtores de informação”

” Cada vez que alguém, por exemplo, torna disponíveis blogs e sites sobre variados temas, agregando informações e reunindo ferramentas de estudo e conhecimento, exerce um dos modos de curadoria”

O livro é um bate papo entre o Cortella e o Gilberto, é um bate papo mesmo, nada de capítulos, ou histórias, o livro é uma conversa entre os dois. Eles falam sobre como os alunos absorvem a informação na sala de aula, a importância do professor se manter atualizado para acompanhar a moçada, o papel do governo na educação e como a tecnologia ajuda e atrapalha na hora de educar. De verdade, todos que se interessam pela área de educação deveriam ler. E nem adianta dizer que não tem tempo, esse livro tem apenas 128 páginas! 

” Em latim, põe-se no pé da página do livro:  verbum volant, scripta manent, ou ” A palavra voa, a escrita permanece”.  Se não estiver escrito no livro, ninguém lembra”

Eu queria muito distribuir esse livro para todos os educadores ou melhor, curadores que eu conheço, é realmente uma leitura enriquecedora.

” Não existe cidadania completa se não houver educação. A cidadania implica a liberdade de escolha. Se o indivíduo não tiver essa oportunidade de escolher a cidadania estará atrofiada, não poderá ser exercida”

E vocês, conhecem os autores? Tem um opinião sobre o assunto? Conta aqui!

Até a próxima!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

 

Resenha: Desculpa se te chamo de amor, Federico Moccia

desculpa-se-te-chamo-de-amor

        Autor: Federico Moccia – Editora: Planeta     Ano: 2009 – Páginas: 413

Classificação 2/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Niki é uma bela garota, é divertida, é inteligente. Tem 17 anos. Alex é um ‘garoto’ de quase 37. Separou-se há pouco, e sem uma razão clara, de sua noiva. Publicitário com grandes responsabilidades vê-se em crise no trabalho. Os dois se cruzam casualmente num pequeno acidente de trânsito. Niki gosta de Alex, Alex acha Niki divertida. A relação fica cada vez mais intensa. Não querem deixar a diferença de idade atrapalhar. O mundo dos adolescentes se choca com o dos adultos. Mas a vida dos dois nunca mais será a mesma. Este romance é a vontade de reencontrar a própria liberdade, a vontade de ter sentimentos verdadeiros, de amar sem convenções e sem muitos porquês. É o cotidiano, mas também o sonho.

Um livro divertido daqueles tipo mamão com açúcar, porém limita-se meramente em passar o tempo. A grande lição observada diz respeito as novas expectativas em relação ao amor romântico e a liberdade concedida por si mesmo para recomeçar.

A parte mais difícil já passou. Alessandro, 37 anos, é abandonado pela sua noiva, Elena. Espelhando seu desânimo, sua aflição é evidente.

“(…) quando alguém que você deseja se vai, você tenta mantê-lo com as mãos e espera assim prender também o seu coração. E não é assim. O coração tem pernas que você não vê”.

O homem não relutou. Não havia nada a ser feito a não esperar que a dor da perda passasse. Entretanto, em um dia supostamente ordinário, Alessandro choca com seu carro na motinha de uma garota chamada Nikki, de 17 anos e bem maluquinha, dando início a história dos dois.

Como Alessandro era um homem que levava seu trabalho bastante a sério, muita das vezes a vida não lhe proporcionava asas, mas depois que Nikki entrou em sua vida, fez parecer com que esta tivesse oscilações que o arrastava cada vez mais às coisas que ele nunca pensou que poderia lhe provocar tanto prazer.

Desculpa se Te Chamo de Amor nos faz indagar se a diferença de idade pode ser uma tangente irrefutável dentro de uma relação amorosa. Com isso, é apontado múltiplos obstáculos os quais os dois tiveram que enfrentar. Nenhum dos dois estavam certos do futuro, todavia sabiam que não conseguiriam mais um viver sem o outro.

Parece aquele típico enredo clichê de livro de adolescente. É… pois é. Ele é. Entretanto, não são esses clichês que nos deixam apaixonadas?

“(…) partem velozes. E Nikki, pouco depois, adormece por debaixo do edredom que a cobre. Ele a observa enquanto dirige e sorri. E ela parece aquela coisa tão linda para a qual não se encontram palavras”.

Espero que essa resenha tenha aguçado a curiosidade de vocês.

Ressalvo que este é meu ponto de vista, assim, abro um caminho para que vocês sintam-se a vontade e comentem quando e o que quiserem, pois a opinião de todos é valida!

Obrigada pela leitura!

assinatura nova luiza

Resenha: Amigo Secreto, Sylvia Day 🔞

amigo-secreto-sylvia-day

                   Autor: Silvia Day – Editora: Paralela           Ano: 2013 – Páginas: 120

Classificação 2.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Em Amigo secreto, a autora narra duas histórias contemporâneas, bem apimentadas e muito românticas que certamente farão as leitoras perderem o fôlego. A primeira, que dá título ao livro, conta a história de Nick e Steph, colegas de trabalho que secretamente sentem uma enorme atração um pelo outro. Isso até o momento que Nick tira Steph no amigo secreto e escolhe um presente claro e direto: uma foto sensual e provocadora que promete esquentar as coisas entre eles. Já a segunda narra o relacionamento difícil e obsessivo de um casal que se vê envolvido na investigação e no roubo de joias de Gideon Cross.

 

Não sei porque tive vontade de ler uma história, como posso dizer, “picante”, mas esse livro surgiu em minhas mãos e eu pensei ‘porque não?’. Já aviso que o livro e a resenha são para maiores de 18 anos. Então vamos à história…

Ela começa na festa de final de ano de uma empresa, durante o amigo secreto, Nicholas dá um presente um tanto inusitado para sua amiga secreta Stephanie: uma foto completamente sem roupa, com apenas um laço cobrindo aquilo que vocês bem sabem, e também um jantar para dois em um restaurante, como se fosse um convite.

Antes da festa, aconteceu de Nick, em um dia em que estava fazendo hora extra, encontrar perto do lixo  um papel amassado com uma anotação com a letra de Steph, era sua lista de desejos para presente de Natal.

“Minha lista de desejos (safadinhos)

Nicholas James sem roupa, embrulhado apenas em um laço.

Nick me beijando até eu perder os sentidos.

Nick cozinhando pelado pra mim (para eu poder ficar olhando a bunda dele)…”

Depois do tal presente, eles ficam mais próximos e a primeira cena “caliente” acontece no escritório. Nick convida Steph para jantar em sua casa e promete realizar todos os desejos de sua lista. Ela só quer uma noite de diversão, já ele quer compromisso. Para Steph é difícil acreditar que o homem mais conquistador e garanhão que ela conheça esteja realmente apaixonado por ela e que queira algo sério. Steph tenta não se envolver, por um motivo de sua vida pessoal que impede que ela invista em relacionamentos.

A história é curta, quase como se fosse um conto, que gira em torno dos dois e se eles vão ficar juntos ou não.

Depois desse, o livro tem outro conto, que eu particularmente gostei mais. Anastasia é uma investigadora particular, que descobre o paradeiro de artigos de luxo roubados. Ela está de volta à sua cidade natal para investigar o sumiço de pedras preciosas, a Coroa de Rosas.

” – Só porque você tem um filho não significa que a sua vida acabou.”
  – Mas significa que as minhas vontades não vêm em primeiro lugar. Eu não posso…” Ela fechou os olhos.

Após 12 anos sem aparecer na cidade, ela reencontra um antigo namorado, o delegado Jake, um homem alto e esguio, com olhos azuis e lábios firmes. Ele a convida para ficar em sua casa enquanto estiver na cidade. Na primeira noite, após o jantar, já acontece a primeira cena de amor.

Em sua investigação, Ana descobre que o irmão dela e o de Jake estão envolvidos no roubo das pedras preciosas. E o pior, a mãe dela, Tilly, é sequestrada por Rick, bandido envolvido no roubo.

Após saber a localização de Tilly, Ana e Jake vão juntos para tentar resgatá-la. Nisso eles ficam mais próximos e Ana se pergunta como irá se relacionar com um delegado, sendo que sua família é envolvida com o crime.

O livro é pequeno, com apenas 118 páginas, mas eu só indico a leitura caso queira ter em sua imaginação as cenas “picantes”, fora isso é uma história com enredo escasso. Então, se estiver procurando por pura diversão, leia, caso esteja procurando uma boa história, não abra esse livro.

Beijocas!

assinatura nova tábata

Resenha: Nerve, Jeanne Ryan

CAPA-Nerve

      Autor: Jeanne Ryan – Editora: Outro Planeta Ano: 2016 – Páginas: 304

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também.
Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo.
A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos… e perigosos.

” – Se quer mesmo se envolver com o nerve, acesse o site amanhã como observadora

Quando eu comecei a leitura eu senti que já tinha visto isso antes..e vi mesmo, ano passado quando li o livro The Game [ O jogo] 😳 😳 

Em nerve, a adolescente Vee trabalha como assistente em um teatro onde sua melhor amiga é a estrela da peça. Vee tem um vida bem comum, sem grandes emoções, principalmente depois de um mal entendido que a deixou de castigo pelo resto da vida. Cansada de todos dizendo que ela devia se arriscar mais, ela resolve fazer um desafio do jogo online Nerve. Mas só para provar que ela pode fazer umas loucurinhas quando quiser.

” É difícil acreditar que pouco antes eu estava deprimida atrás de uma cortina empoeirada vendo minha melhor amiga me esfaquear pelas costas. E agora? Prêmios, diversão e dinheiro, talvez. Adoro esse jogo”.

Esse jogo online disponibiliza desafios para os usuários, e quem fizer mais sucesso é selecionado para a etapa seguinte. Coisas simples, como virar um copo de água na cabeça no meio da cafeteria ou cantar bem alto em público…a cada jogada o desafio fica mais difícil e o prêmio aumenta…como uma bolsa de estudos, um carro, uma viagem…o interessante é que o jogo sabe o prêmio que o jogador quer e usa isso a favor.

E aí meus queridos que a Vee toma gosto e quando nota, está completamente envolvida e mais encrencada que nunca. 

” Solto um sorriso e respiro fundo. E de novo. É hora do show”

” Quanto mais rápido eu cumprir o desafio, maior é a chance de sobreviver a ele. Ou não desmaiar, pelo menos”.

No meio dos desafios ela encontra Ian, um outro jogador. Nerve decide que eles serão uma dupla e passam a realizar os desafios juntos. Além dos jogadores temos os observadores, eles pagam para assistir o jogo, sugerem desafios e muitas vezes acompanham as missões. 

Mas nem tudo é diversão. O jogo começa a tomar um rumo muito sombrio, com desafios pessoais que ameaçam relacionamentos e o bem estar da dupla. Mas os prêmios são tão bons que eles decidem ir até o desafio final. Esse desafio envolve todos os outros jogadores que conseguiram cumprir todas as missões e o jogo preparou uma grande surpresa para eles. Confesso que não gostei dessa parte, enrolou muito e ficou confuso…

” Todo mundo prende a respiração. Há sete pistolas penduradas no fundo do armário”

Mas no geral o livro é viciante! Li em dois dias e queria uma continuação. Super recomendado!

Recentemente saiu um filme inspirado no livro. Isso mesmo, inspirado. Porque NÃO TEM NADA A VER COM O LIVRO. Nada. Agora eu sei como os fãs de Percy Jackson se sentiram 💔 

Confere aqui o trailer:

É isso pessoal! O que acharam? Já leram ou assistiram o filme?

Conta aqui tudo o que passa nessas cabeçinhas!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Gelo Negro, Becca Fitzpatrick

capa-gelo-negro

        Autor: Becca Fitzpatrick – Editora: Intrínseca Ano: 2015 – Páginas: 304

Classificação 4/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton, um lugar cheio de mistérios. Antes mesmo de chegar à cabana nas montanhas, ela e a melhor amiga, Korbie, enfrentam uma nevasca avassaladora e são obrigadas a abandonar o carro e procurar ajuda. As duas acabam sendo acolhidas por dois homens atraentes e imaginam que estão em segurança.

Os homens, porém, são criminosos foragidos e as fazem reféns. Para sobreviver, Britt precisará enfrentar o frio e a neve para guiar os sequestradores para fora das montanhas. Durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, um homem se mostra mais um aliado do que um inimigo, e Britt acaba se deixando envolver. Será que ela pode confiar nele? Sua vida dependerá dessa resposta.

” Já ficara bêbada antes, mas nunca daquele jeito. Ele lhe dera alguma coisa. Devia ter colocado alguma droga em sua bebida. A droga a deixava exausta e ela se sentia pesada.”

Esse livro estava na minha lista de leitura desde o lançamento…não sei porque demorei tanto para ler, mas ainda bem que demorei, porque acabei comprando ele por 9,90 :D 

E pensa num livro bom, sério mesmo, uma história ótima! Só pecou no romance, a autora deu uma viajada em umas partes e deixou muito meloso, por isso eu não dei uma nota cinco. Mas tirando isso todo o resto é incrível. É uma história com muitas reviravoltas, para se surpreender a cada virada de página.

Tá, mas do que fala o livro? Desculpa, me precipitei né?

Britt e sua melhor amiga Korbie decidem passar o recesso de verão nas montanhas para fazer escalada, esquiar, comer brigadeiro de panela rs..e principalmente porque Britt precisa esquecer de vez seu último namorado, Calvin ( que por acaso é irmão da Korbie).

Na viagem de ida elas pegam um chuva forte seguida de uma nevasca e são obrigadas a abandonar o carro e ir em busca de abrigo. Depois de horas de caminhada na neve elas encontram um cabana e pedem socorro. O problema é que os homens que estão na cabana são dois criminosos que estão fugindo da polícia.

Tenso heim parsa. Vai morrer na neve ou vai ficar como refém de criminosos? Fica aí a reflexão.

” – Podemos fazer isso da maneira mais fácil, ou da maneira em que vocês acabam mortas. E, acreditem em mim, se gritarem, resistirem ou discutirem, eu vou atirar.”

” De repente, pensamentos desesperados e irracionais bombardearam minha mente. Eu tinha que sair dali. Tinha que correr. Talvez eu não fosse congelar na floresta…iria correr sem parar, até estar fora de perigo.”

A partir do momento que as meninas entram na cabana a história toma um ritmo acelerado e tenso. Você fica com aquele sentimento ” putz vão morrer”, ” não, agora vão morrer”…” eita, vai morrer”….e daí, bum, a história dá aquela reviravolta que você fica de boca aberta! Fantástico!

” Pressionei o rosto nos braços cruzados e deixei escapar um som profundo de agonia. As lágrimas corriam corriam pelo meu rosto. O pesadelo estava me arrastando de volta.”

” Mais do que nunca, eu me ressentia de qualquer atração que pudesse estar sentindo por ele. Ele era meu sequestrador.”

Falando sobre os personagens, a Britt é uma adolescente muito mimada, ela mesma confessa que é muito dependente do pai e do irmão, como se eles devessem sempre cuidar dela. Imagina uma menina dessa perdida no meio de uma nevasca? Já a Korbie é uma péssima amiga, invejosa, nada fiel…mas mesmo assim elas se consideram melhores amigas. Vai entender né? 

” As palmas das minhas mãos estavam arranhadas e sangrando por causa da queda. Olhei para elas sem reação…aquilo não estava acontecendo comigo. Eu não estava ali fora de novo, no frio, enfrentando a morte.”

Para quem nunca viu a neve, o livro dá umas dicas super legais de como sobreviver na neve. Já me sinto preparada hahah

E para finalizar: sim, eu recomendo o livro! Os momentos de romance são chatos mas a trama compensa muito! Sem contar que a capa é linda e vai ficar show na sua estante❤

Ah! E a autora do livro é a mesma da saga ” Hush Hush”. Nunca li e nunca lerei.

Tô aqui aguardando o comentário de vocês.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Terra Morta #1 – Fuga, Tiago Toy

terra-morta

               Autor: Tiago Toy – Editora: Draco           Ano: 2011 – Páginas: 248

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Romance de estréia de Tiago Toy, “Terra Morta – Fuga” imagina o apocalipse zumbi ambientado em São Paulo.

Em ‘Terra Morta: Fuga’, o leitor acompanhará uma saga de sobrevivência ao terrível mal que assolou o interior de São Paulo e agora se dirige à capital.

Tiago é um rapaz introspectivo que sempre sonhou em viver na megalópole de São Paulo e buscar novos desafios. Só não imaginava que sua chance chegaria da pior maneira possível. Jaboticabal, sua cidade natal, é o cenário de um terrível apocalipse zumbi, uma tragédia que parece saída de um videogame ou filme de terror.

De repente, o jovem acostumado a treinos de parkour e muito trabalho precisa lutar para sobreviver. Nenhum local é seguro, ninguém mais é confiável, água e comida não são mais garantidas no dia a dia. Mesmo que a mente custe a acreditar, não há tempo para duvidar da realidade. A única opção é fugir.

A cada pessoa que Tiago encontra, uma surpresa. Aliado ou inimigo? Nunca uma certeza.

Tiago e seus companheiros deverão enfrentar o passado e seus medos, e em meio a um mar de zumbis canibais, descobrirão que o maior inimigo ainda são os humanos.

Descubra a origem da infecção enquanto corre sem parar, uma aventura dramática que é sucesso na internet e agora se torna uma série de livros. Pegue apenas o necessário e corra sem olhar para trás.

“Sabemos que somos mais sortudos que espertos por continuarmos vivos”

Uma cidade no interior de São Paulo foi atingida por um mal que transformava as pessoas em mortos vivos com uma tremenda fome de carne humana. Tiago (Sim, o personagem principal e o autor têm o mesmo nome hsuahs), um dos sobreviventes, estava sozinho. Seu plano era fugir para a capital em busca de socorro.

No meio de sua fuga, ele cruzou com dezenas de “zombies”, mas também com pessoas que apenas estavam tentando sobreviver, como ele. Uma que merece destaque é a Daniela. Os dois acabaram se tornando cúmplices. Tiago, de início, relutou em aceitar caminhar junto com ela. Ele parecia muito grosseiro e ignorante, mas era compreensível pois, como tudo estava em jogo, bons modos era a última coisa a se pensar.

“A vontade de sobreviver é maior do que qualquer desconforto” 

Os garotos também perceberam que o perigo não estava somente nos corpos sedentos de carne fresca que andavam sem rumo pelas ruas, mas também estava nos não infectados. Houve lutas por comida e abrigo, e todos queriam a mesma coisa. Infelizmente, os recursos estavam se acabando aos poucos, por isso só quem chegasse primeiro conseguiria não passar fome.

“Não é fácil destruir a esperança de alguém que está em total desespero”

Em razão do destino, muitos chegaram ao “topo”, mas logicamente não houve lugar para todos. Por esse motivo, Tiago teve que enfrentá-los para garantir o seu. 

“Não sou eu quem devia ditar seu destino. Não sou eu que devia cravar um facão no meio de suas cabeças para evitar ser um deles”

Já queria ter começado a ler livros com esse tema há tempos, mas nenhum me chamou a atenção justamente por eu não achar que valeria a pena. Afinal, nunca tinha lido livros do gênero antes, mas já tinha assistido a muitos filmes, então pensei que Terra Morta seria apenas mais um livro de zombie. E, meus queridinhos, não era nada disso que eu estava pensando. Eu, sinceramente, esqueci da vida lendo o e-book. 

Enquanto lia, me perdi um pouco nas cenas de luta corporal, parece que elas foram rápidas demais. Acredito serem as mais difíceis de descrever. Algo que me chamou muito a atenção foi a forma que os zombies eram descritos. Eu consegui imaginar a figura. Dava medo (Não é brincadeira gente kkkk Tanto que evitava ler antes de dormir kkkkkk). 

O autor demonstrou, na minha humilde opinião, muito talento! Ele tinha tanto controle sobre as situações descritas que foi capaz de me prender com correntes e cadeados (kkkkkkk) Não queria largar até descobrir o final de tudo aquilo. 

Terra Morta: Fuga tem uma continuação chamada Terra Morta: Infecção. Espero ansiosamente a oportunidade de lê-lo em breve!

assinatura nova luiza

Resenha: Órfão X, Gregg Hurwitz

orfao-x

         Autor: Gregg Hurwitz – Editora: Planeta     Ano: 2016 – Páginas: 336

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Quando garoto, Evan Smoak foi recrutado no orfanato onde vivia para fazer parte de um programa americano ultrassecreto. Rebatizado de Órfão X, ele foi treinado para ser um exímio assassino e enviado aos piores lugares do mundo para missões que ninguém mais conseguia executar. Depois de longos anos de atividade, Evan deixa o programa e usa as habilidades de agente secreto para “desaparecer” e viver para um único propósito, agora sob o codinome de “Homem de lugar nenhum”: salvar e proteger pessoas pobres e  indefesas como ele havia sido. No entanto, seu passado de matador sangrento passará a assombrá-lo e também a seus protegidos. Alguém tão bem treinado quanto ele – talvez um ex-colega de programa?– está na sua cola, para tentar eliminá-lo.

“Evan respirou. ‘Nunca leve para o lado pessoal. Não presuma nada. Nunca leve para o lado pessoal. Não presuma nada’, pensou ele.

Podia sentir o peso da pistola sobre o joelho. A arma estava sempre ali, leal e confiável, uma constante. Aço e chumbo reagiam de maneira previsível. Eram finitos, imutáveis, domáveis. Evan podia contar com eles.”

Evan Smoak é um assassino profissional, que foi treinado pelo governo num programa que transforma órfãos em máquinas de destruição. Lhe foi dado o codinome de Órfão X, e antes dele tiveram Órfãos com todas as letras do alfabeto.

Evan teve como mentor e treinador Jack, e quando ele é morto, o Órfão X decide fugir do programa e usar o que sabe para ajudar as pessoas. Muda-se para um apartamento em Los Angeles, onde através de um celular, que não pode ser rastreado, ele recebe as ligações pedindo sua ajuda.

Morena é uma garota de 17 anos que vive em um bairro humilde junto com a irmã de 11 anos, Carmen. Elas haviam sido abandonadas pelo pai e a mãe havia falecido fazia um ano. Morena sofria abusos sexuais pelo investigador William Chambers. Ela entra em contato com Evan, conhecido como o Homem de Lugar Nenhum, para pedir sua ajuda, pois teme o momento em que William resolva começar a abusar de sua irmã.

“- Você faz parte do que chamamos de Programa Órfão. É excepcionalmente equilibrado e muito comedido diante do desconhecido e foi escolhido para o programa justamente por ter essas qualidades. Há outros como você. Mas jamais os conhecerá.”

Evan encara essa missão e, rapidamente, põe fim à vida do investigador. Ele era assim, um anti-herói, um matador do bem, se é que isso existe. Após concluir a missão, ele despede-se de Morena e diz para ela encontrar outra pessoa que precise de ajuda e dar seu número de telefone.

Em meio a suas missões, ao fingir ter uma vida pacata, Evan conhece Mia, uma promotora de justiça, moradora de seu prédio, e seu filho de 8 anos Peter. Ele se aproxima cada vez mais dessa pequena família, tendo noção de como é uma vida normal.

“- O que faz você feliz?

Dessa vez, não houve intervalo entre pensamento e resposta:

– Suas sardas.

Mia entreabriu os lábios. Deu alguns passos para trás, para dentro do quarto. Ameaçou falar alguma coisa, mas parou.”

Apenas 5 dias após concluir a missão, ele recebe a ligação de Katrin pedindo sua ajuda, ela diz que foi indicada por Morena e está sob ameaça por dívidas de jogo. Ao encontrar com Katrin em um restaurante, eles sofrem um atentado, mas conseguem sair ilesos. Ela diz que o pai  dela, Sam, encontra-se nas mãos dos bandidos. Esses bandidos eram Slatcher e  Candy, comandados por Top Dog.

Evan começa uma investigação, mas ainda sem conseguir ajudar Katrin, não sabe a identidade nem o paradeiro de quem a ameaça, ele recebe outro telefonema, um pedido de ajuda de Memo Vasquez, que também diz tem sido indicado por Morena. Evan tinha deixado bem claro para Morena que ela deveria indicar somente uma pessoa, então vai atrás dela para descobrir o que aconteceu.

Um dos dois, ou Memo, ou Katrin, está mentindo, e Evan descobre que está sob ameaça, alguém quer ele morto. Agora terá que lutar para sobreviver, ao mesmo tempo em que tenta salvar as pessoas que pedem sua ajuda.

Órfão X é um livro de suspense com muita ação, onde nem tudo é o que parece. No desenrolar da história temos alguns flashbacks de quando Evan ainda era novo e estava em treinamento. Tem muitas partes com lutas, em que ele fica entre a vida e a morte, mas a última é a melhor de todas. O livro é cheio de momentos tensos e não tem quase nada de romance. Tem 59 capítulos e a partir do capítulo 37 é uma emoção atrás da outra.

Beijocas!

assinatura nova tábata