O que os leitores andam dizendo nas redes sociais #02

E como o primeiro post fez muito sucesso, aqui vai o segundo! Por que rir e se reconhecer em cada frase, faz parte da vida do leitor! :D 

Quando você é um leitor a favor da natureza

leitores

Quando você tem um livro favorito e não conhecem ele 

leitores

A pergunta que qualquer usuário do Skoob se faz todo dia

leitores

Quando o que nos resta é apenas olhar.

leitores

Quando a gente se veste como mendigo mas tem uma estante digna de rei

leitores

Quando a nossa carta de Hogwarts chega, é impossível não compartilhar! Invejosos dirão que é falsa.

leitores

E já que não temos dinheiro pra uma Nimbus 2000, porque não construir uma? 

leitores

E é aquele negócio, qualquer hora é hora pra uma leitura.

leitores

Quando a gente entra em choque e não sabe se ri ou chora!

leitores

Quando você é a diferentona e encontra outra diferentona

leitores

Quando a gente se engana, achando que arrumar a estante leva pouco tempo

leitores

Quando um autor faz qualquer tipo de contato com a gente, não dá pra segurar a emoção 

leitores

separador

Muito bom né? Eu adoro postagens assim, me faz sentir normal hahaha

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

 

 

 

 

 

*Caso você seja o autor de uma das frases e não deseja ter ela divulgada, me avise que eu retiro.

Resenha: A instrução dos amantes, Inês Pedrosa

a-instrucao-dos-amantes

Autor: Inês Pedrosa – Editora: Planeta                 Ano: 2006 – Páginas: 168

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

A instrução dos amantes é um romance sobre o amor. Ou melhor, é o amor o principal personagem deste livro. Há a história de Cláudia que se apaixona por Dinis no funeral de Mariana, que não se sabe como pôde ter se matado – ou teria ela caído da varanda acidentalmente? Assim como há as narrativas das aventuras da turma liderada por Ricardo Luz – o valente namorado de Cláudia -, que brinca no cemitério à noite ou rouba gasolina dos carros para alimentar as motos. Também há as outras turmas, mas há, principalmente, meninos e meninas, todos com o coração à flor da pele. E nada disso importa, pois há a pele, que junta e separa, e os beijos, os corpos, os segredos, e o sem-jeito das palavras, a submissão, as dores das traições e rejeições e, claro, as cartas ridículas. Há, enfim, o amor, tão misterioso quanto a frase resmungada pelo velho Murinelo: “Há respostas humanas para o que não é humano”.

“Filipe cultivava a maior das misoginias, que é a de compreender as mulheres. Costumava dizer que havia três variedades de Belas Adormecidas: as mais baratas eram as que não acordavam nunca; dentro da gama mais sofisticada, que acorda com um beijo, havia as que tinham um mecanismo para adormecer outra vez e as que não voltavam a adormecer, por mais que se lhes fizesse – e eram estas, evidentemente, as que saíam mais caras.”

A história desse livro gira em torno de um grupo de amigos, composto por Cláudia, que namorava Ricardo, as gêmeas Luísa e Laura, Teresa, João, Isabel, seu namorado Filipe, Radar, Linhos, Alexandra e, o irmão de Isabel, Dinis, que não fazia exatamente parte do grupo. A trama inicia-se no funeral de Mariana, amiga do grupo, que havia se matado. E a história principal surge quando, durante o funeral, Cláudia apaixona-se por Dinis.

Os personagens estão na época de escola, acredito que no Ensino Médio, e entre amizades e romances, surgem as brincadeiras. Como uma vez que vão até o cemitério, vendam um integrante do grupo e a vítima deve procurar, agarrar e nomear quem achar primeiro, sem falar com ele.

“Depois a memória acabou, caiu, despenhou-se inteira nas mãos dele, ali, na cintura dela. Fechou os olhos, desejou morrer dentro daquele peito que lhe escaldava o coração: ‘onde é que eu estou, onde é que eu começo, não sei de mim, de onde vem esta alegria que me dói tanto, se ao menos eu conseguisse parar de tremer.'”

E é através de um jogo, em que é feita uma pilha de papéis com os nomes das mulheres e dos homens, onde cada um vai dançar com a pessoa que sortear, que Cláudia aproxima-se de Dinis. Mesmo ainda estando com Ricardo, ela acaba envolvendo-se com o rapaz.

No mesmo clima de paixão da adolescência, João pede ajuda de Teresa para escrever uma carta de amor à Alexandra. Enquanto Cláudia aproxima-se de Isabel para poder ficar perto de seu amor Dinis. Elas acabam tornando-se amicíssimas de verdade. Mas será que essa amizade permanecerá mais forte que o romance com garotos?

“- A beleza, meu filho, para as raparigas, é uma coisa espiritual. Sem explicação nem medida. É por isso que é muito difícil encontrar duas raparigas com a mesma opinião sobre a beleza de um rapaz. As mulheres não são todas iguais, como os homens. Até são capazes de gostar de um monstro como tu.”

A instrução dos amantes é um livro curtinho, com enredo simples, e, apesar de ter sido escrito no português de Portugal, dá pra entender tudo. Fala de paixão, de como essa coisa arrebatadora entra em nossas vidas e nunca mais somos a mesma pessoa, fala também do amor não correspondido.

Mas, não espere muitos ensinamentos desse livro, nem um final espetacular, ele serve apenas como uma lembrança de como é a paixão juvenil. Quem nunca sofreu de “paixonite” nem comece a lê-lo. Beijocas!

assinatura nova tábata

Resenha: O menino que desenhava monstros, Keith Donohue

o-menino-que-desenhava-monstros

Autor: Keith Donohue – Editora: DarkSide           Ano: 2016 – Páginas: 256

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Um livro para fazer você fechar as cortinas e conferir se não há nada embaixo da cama antes de dormir. O Menino que Desenhava Monstros ganhará uma adaptação para os cinemas, dirigida por ninguém menos que James Wan, o diretor de Jogos Mortais e Invocação do Mal.

Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar.

Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais.

Na superfície, O Menino que Desenhava Monstros é uma história sobre pais fazendo o melhor para criar um filho com certo grau de autismo, mas é também uma história sobre fantasmas, monstros, mistérios e um passado ainda mais assustador. O romance de Keith Donohue é um thriller psicológico que mistura fantasia e realidade para surpreender o leitor do início ao fim ao evocar o clima das histórias de terror japonesas.

” Ultimamente, os monstros vinham persegui-lo dentro dos sonhos. Eles pousavam a mão em seus ombros. Sussurravam em seus ouvidos enquanto ele dormia…”

Eu pensei muito se faria uma resenha desse livro, porque sabia que ia ser difícil. Um coisa é certa, a capa e a sinopse promete mais que a história.  O problema maior é a expectativa que a gente cria ao ler e ver coisas que não condizem com o livro…

O menino que desenhava monstros é realmente um thriller psicológico que mistura realidade e fantasia. Você passa a leitura tenso, sem entender se tudo é imaginação ou se realmente tem um monstro, ou melhor, monstros rondando a família de Jack. Outros elementos integram na história para confundir mais o leitor, como a história trágica do naufrágio de Porthleven e uma senhora japonesa que acredita em espíritos.

Jack Peter, o protagonista da história é um menino de dez anos com síndrome de asperger, um tipo de autismo, e agorafobia, medo de lugares abertos. Sempre que a família precisa sair de casa com ele, e isso acontece apenas em ocasiões realmente necessários, como a ida ao médico, o momento se transforma em um inferno. Precisam usar a força e enrolar ele no cobertor.. Mesmo sabendo que ele tem problemas de saúde que dificultam sua socialização, eu não simpatizei com ele desdo o inicio da leitura. Praticamente em todos os momentos eu fiquei com raiva dele…e terminei o livro com raiva dele também.

O pais de Jack , Tim e Holly , recentemente vem discordando muito na criação de Jack. Tim cuida do filho em tempo integral e a mãe trabalha fora como advogada. Ela começa a perceber que o comportamento do filho está mais estranho que o normal e mesmo alertando Tim, ele demora a acreditar. 

” – Podíamos acender a luz – disse Tim
– Ficou maluco? E deixar que o que quer que esteja lá fora nos veja?
– Não há nada lá fora. É um vendaval. Uma frente fria se deslocando.
– Como poderia ser o vento? O vento por acaso mexe em maçanetas? O vento dá batidinhas nas janelas da cozinha? Alguma coisa está tentando entrar, Tim. Eu escuto isso o tempo todo.”

” – Desculpe…achei que estava vindo para me pegar.
–  Eu estava indo pegar você, para acordar você.
– Não. Pensei que tinha um monstro embaixo da minha cama.”

A história conta com muitos problemas de relacionamentos. De Jack com a mãe, dos pais, da amizade de Jack com Nick…e como cereja do bolo: com monstros rondando a casa. Ah e a história enrola também viu. Acho que o autor quis criar um clima de suspense forte e isso acabou se estendendo mais que o necessário. E não senti medo nenhum.

” – Porque está tão frio aqui?, perguntou.
Jip parou de murmurar e se inclinou para frente, batendo com o dedo no vidro. ” É ele. Está tentando entrar.”
– Ele quem?
– O homem, o monstro. – ele falava de maneira tranquila, o olhar fixo no rosto do pai- Você não entende?”

Essa resenha é como a de caixa de pássaros, não tem como falar muito se não o suspense vai pro ralo. E dá vontade de falar sobre ele porque tem muitas particularidades interessantes.

E a DarkSide mais uma vez está de parabéns, a capa dura com relevo me deixou apaixonada. Ah e olha que legal, no fim do livro tem umas páginas em branco para o leitor desenhar seus monstros. Eu desenhei os meus, olha só:

o menino que desenhava monstros

hahahhaha

E fico aqui aguardando o comentário de vocês.

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

 

Resenha: A garota do calendário [ Janeiro], Audrey Carlan 🔞

a-garota-do-calendario-janeiro

          Autor: Audrey Carlan – Editora: Verus                 Ano: 2016 – Páginas: 144

Classificação 2.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser…
Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.

” Você vai ser enviada para onde o homem estiver e ser tudo o que ele precisa durante um mês. Mas eu não vendo sexo. Se você dormir com eles, vai ser uma decisão sua.”

Eu nunca fui fã de livros eróticos ou new adult, o mais perto que cheguei desse gênero foi lendo cinquenta tons de cinza…mas cinquenta tons não é NADA perto desse livro aí viu! Só de lembrar da história eu já fico rindo, porque é muita safadeza! hahaha

Esse é o primeiro livro da coleção ” A garota do calendário”, toda a saga é composta por doze livros, cada uma representa um mês e um homem programa diferente. Os livros são pequenos, no máximo 150 páginas e, posso dizer pelo mês de Janeiro que a história flui rapidamente de forma muito cativante, divertida e erótica.

Em Janeiro conhecemos a protagonista Mia, uma jovem de vinte e cinco anos que sonha em ser atriz. Ela trabalha em Vegas como garçonete e cuida da irmã e do pai. Pai esse que está em coma por causa de uma dívida com um agiota e caso Mia não pague, ela e a irmã são as próximas a sofrerem as consequências. Mas como conseguir um milhão de dólares trabalhando como garçonete? Sem condições.

E ai entra a tia Millie, parente da Mia e proprietária do Exquisite Acompanhantes de Luxo. Ela oferece uma solução: trabalhar como acompanhante por um ano. Não é se tornar uma prostituta, mas sim acompanhante. Mia não é obrigada a ter relações sexuais com os clientes e se quiser vai ser por opção dela. É claro que ela ganha um extra se isso acontece, mas ninguém obriga 😎.

” O que eu quero dizer é que, se você pegar o trabalho de acompanhante, só vai precisar estar sempre bonita e transar muito. Você não fica com ninguém há meses. Poderia muito bem aproveitar a chance, né?”

” Eu morava em Los Angeles havia seis meses e nunca tinha ido a um jantar elegante durante esse tempo. Isso me fez pensar em como minha vida amorosa era triste. Pelo menos com esse trabalho, comecei a experimentar as coisas a vida.”

Como ela precisa levantar uma grana alta em um ano ( questão de vida ou morte), sua tia coloca ela como acompanhante mensal, ela ficará 24 dias com o cliente, acompanhando ele em festas e eventos, sendo a mulher troféu.

O primeiro cliente é Wes, um jovem roteirista e aquele homem que toda mulher quer: forte, lindo, rico, bem sucedido, romântico sem exageros, atencioso e muito bom de cama. Sério, muito bom mesmo…tem muitas cenas para comprovar…muitas! 🔥 Mia fez muito esforço para não se apaixonar por ele. E olha que eu fiquei apaixonada e torci muito pra história tomar um rumo diferente. Nossa eu espero que em Dezembro a Mia fique com ele. O relacionamento deles basicamente se resume a festas e sexo. Assim, não tem muito o que contar.

” Parecia um trabalho de verdade, como se eu fosse a assistente pessoal de Wes e não uma prostituta. Tecnicamente eu não era uma prostituta, embora tivesse tido contato sexual com ele no primeiro encontro. Mas isso foi porque eu estava com tesão e ele é muito gostoso.”

Eu achei a história muito parecida com o filme ” Um linda mulher”, sabe aquilo de encontrar o cara perfeito, tudo acontecer bem rápido, muita roupa de grife, quase um conto de fadas? Então, é a mesma coisa, a diferença é que esse livro tem muita sacanagem. 

E sobre a continuação, vi uns comentários que a história do mês de Fevereiro é bem ruim, bem fraquinha, acho que vou pular para Março…que dizer, a Tábata vai ler esse e a Luiza de Abril, porque quando eu contei que estava lendo foi uma tiração de sarro sem fim hahaha

Ah e preparem-se para emoções também! Nem todos os livros serão apenas pegação, a Mia terá momentos de aprendizado, sobre o que é amor, amizade e família. Mas sinceramente, não é isso que o povo quer né 🔥🔥🔥

a-garota-do-calendario-de-audrey-carlan-meses

Coleção completa. Morra de inveja desses vestidos.

Se vocês procuram um livro parar matar o tempo, encontraram! Eu vou ler os seguintes sim e se reclamar eu faço resenha dos doze livros hahaha

Até a próxima! 

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

 

Entrevista com o autor: Ronnyel Sanpe

Oi lindezas!

Um tempo atrás eu postei a resenha do livro ” Atlântica: o enigma perdido de Flystwick“, e hoje para fechar com chave de ouro, tem entrevista com o autor. Confere aí!

 – Da onde surgiu a ideia de escrever sobre Atlântida?
   Sempre gostei muito da lenda sobre Atlântida. Então, foi muito fácil escolher o cenário das aventuras dos quatro amigos. A partir disso, construir o meu livro sobre algo que na minha visão era magnifico, foi bem prazeroso.

– Como foi o processo de criação do livro? E principalmente, escrever um enigma! Eu não consigo adivinhar, muito menos escrever um rs
Na verdade, quando comecei a escrever o livro, não tinha ideia de como seria o encadeamento da história. Sabia apenas que haveria um enigma e 4 amigos. No entanto, quanto mais eu escrevia, mais o desenrolar da trama ia se tornando claro na minha cabeça. Foi assim que surgiu Atlântida ( o nome inicial do livro não era esse). Já em relação ao enigma, não sei dizer. Passei dias tentando escrever algo bom e desafiador, mas sempre acabava descartando os já criados. Até que o atual surgiu na minha mente e fui apenas aperfeiçoando-o.ATLÂNTIDA O ENIGMA PERDIDO DE FLYSTWICK

– E o nome do personagem que causou todo o rebuliço, Flystwick, como você imaginou esse nome?
  Não tenho ideia. Ele foi a primeira personagem a ganhar nome, contudo não lembro exatamente de onde surgiu.

– Os quatro amigos da história são inspirados em pessoas reais?
 Essa pergunta é legal…

Sabe, sempre me voltei para algumas pessoas para criar minhas personagens, tanto de forma física quanto psíquica. Porém, não posso afirmar que tenha alguma personagem que é inteiramente uma pessoa só, mas sim um compilado de características ,conhecidas por mim, vistas em outros indivíduos do meu convívio.

– Eu gostei muito das descrições que você faz sobre o nordeste do Brasil, inclusive se tornou uma aula de geografia e história para mim. E me convenceu que o Brasil pode ser um lugar de grandes aventuras. Você cogitou escrever a história em outro País?   
  Não, não cogitei. Sempre enalteci bastante nossas riquezas e percebi que a história de Atlântida, se bem trabalhada, poderia casar formidavelmente com algumas lendas brasileiras. Logo, cada local foi bem pensado para que tudo saísse o mais próximo da realidade, no que diz respeito às características históricas.

– Quanto tempo levou para escrever a história e sentir pronto para publicar?
 1 ano. Senti que estava pronta para ser publicada apenas 2 anos depois de terminada.

– Podemos esperar por uma continuação?
 Nunca se sabe. A lenda de Atlântida continua nas nossas vidas e em nossa imaginação, quem sabe possa continuar nos meus livros também.

– Quais autores ou histórias são suas inspirações?
Creio que um autor que me inspira é Aluísio Azevedo. Mas história, com certeza, Harry Potter.

– Você sempre gostou de ler e escrever? Recebeu apoio quando decidiu se aventurar como escritor?
 Sim, sempre gostei muito de ler e escrever. O nome do primeiro livro que iniciei foi “Melhem Adas “, mas nunca o terminei (Descobri depois que esse é o nome de um geógrafo brasileiro).

– Quais dicas você daria para alguém que quer  escrever um livro?
Primeiramente, ler bastante e ir escrevendo aos poucos. A história muitas vezes está ótima para você, mas não para o leitor. Vá fazendo um encadeamento de ideias e construindo uma história plausível e interessante. Creio que esses são os três pilares para que um livro possa sair do papel.

separador

A resenha do livro vocês podem ler –> aqui <-

Tem perguntas para o Ronnyel? Deixa aqui nos comentários, eu aviso ele😉

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

Resenha: A extraordinária garota chamada Estrela, Jerry Spinelli

a-extraordinaria-garota-chamada-estrela

Autor: Jerry Spinelli – Editora: Gutenberg            Ano: 2014 – Páginas: 192

Classificação 2/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

A garota chamada Estrela. Ela é tão mágica quanto o céu do deserto. É tão estranha quanto seu rato de estimação. É tão misteriosa quanto seu próprio nome. Com um simples sorriso, ela captura totalmente o coração de Leo Borlock. Com sua alegria, ela incendeia uma revolução de liberdade e autenticidade no espírito de sua escola. No começo, os colegas encantam-se com ela por tudo o que a faz ser diferente. Mas isso começa a mudar, e Leo, apaixonado e apreensivo, percebe que a única coisa que pode salvá-la das críticas é a mesma que pode destruí-la: ser alguém comum. Nesta celebração do inconformismo, o premiado Jerry Spinelli tece um conto tenso e emocional sobre os percalços de precisar ser popular e da emoção e inspiração do primeiro amor.

“De todas as características incomuns de Estrela, essa para mim era mais marcante. As coisas ruins não a afetavam.”

Uma amiga minha me disse que esse era seu livro favorito, e quando alguém fala isso eu fico muito MUITO curiosa. Então ela me emprestou e hoje vamos falar um pouquinho dele. Simbora!

Quem narra a história é Leo Borlock. Ele mais a escola inteira se impressionaram quando uma aluna nova chamada Estrela ingressou no colégio. A primeira impressão dela foi chamar a atenção de todos pela sua aparência exageradamente incomum. Usava roupas e acessórios chamativos, além de tocar um instrumento chamado ukulele, parecido com um violão.

Além disso, Estrela tem uma personalidade maravilhosamente cativante! Deixava as pessoas ao seu redor felizes. Sempre se mostrou prestativa, acabando por ser chamada para o time de líderes de torcida, se tornando popular. Mas ela não se enchia disso, não inflamava o ego.

Porém, seus dias de popularidade chegam ao fim muito depressa. Isso porque, além das roupas, seu jeito também desagradava as pessoas. Não que havia algo de errado, ela simplesmente era boa demais. Mas convenhamos que Estrela é bem doidinha.

“Ao mesmo tempo, nos contínhamos. Porque ela era diferente. Diferente”.

Leo e Estrela haviam se tornado amigos bem próximos. Isso o incomodou, pois ele reparou que seus amigos da escola estavam ignorando-o com sucesso. Para ele, o que as pessoas acham ou o que vão achar é o mais importante. Tudo isso porque o viram andando com a garota.

“(…) todos desviavam de nós”.

Não bastava ser ignorada, Estrela era alvo de bullying. O mais fantástico era que ela não revidava. O seu interior permanecia da mesma maneira, independente da maldade de certos alunos. Como o próprio título diz, Estrela é extraordinária.

“Eles estavam todos em é agora, apontando os dedos, avançando, gritando, estivessem com o microfone ou não”.

Por fim, esse livro é direcionado para o público infanto juvenil, mas é indicado para todas as idades. A leitura é rápida, fácil e agradável. Além da mensagem, que é passada de maneira simples para o público jovem.

assinatura nova luiza

Resenha: Filosofia para Corajosos, Luiz Felipe Pondé

filosofia-para-corajosos

Autor: Luiz Felipe Pondé – Editora: Planeta          Ano: 2016 – Páginas: 192

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

O objetivo deste livro é ajudar o leitor a pensar com a sua própria cabeça. Para tal, o filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé, autor de vários best-sellers, se apoia na história da filosofia para apresentar argumentos para quem quer discutir todo e qualquer tipo de assunto com embasamento. Afinal, os grandes filósofos estudaram, pensaram e escreveram sobre os temas essenciais com os quais ainda lidamos no mundo contemporâneo. O livro está dividido em três partes: “Uma filosofia em primeira pessoa”, onde o autor conta como ele entende a filosofia; “Grandes tópicos da filosofia ao longo dos tempos”, que traz um repertório básico dos temas que todo mundo precisa conhecer mais a fundo; e “Por que acho o mundo contemporâneo ridículo”, uma análise ferina da sociedade atual.

“Muitas vezes temos a sensação de que estamos vivendo a vida dos outros e não a nossa. Essa sensação aparece quando sentimos que fazemos o que os outros querem e não o que nós queremos”

Esse não é um livro com uma história, tão pouco um livro de autoajuda. É uma reflexão de um filósofo com seus pensamentos sobre o mundo, sempre baseado no estudo feito sobre outros filósofos. Os capítulos são divididos por perguntas feitas e respondidas pelo autor. As questões focam na existência humana, fala do mundo e para o mundo.

Descobri que filosofar é falar a língua dos outros, e logo no começo do livro já temos um pouco do filósofo Friedrich Nietzche. Depois, o Luiz Felipe Pondé passa a falar sobre o Romantismo, o mal-estar com a modernidade, e o fato de ganhar dinheiro para sobreviver é o que compete a maioria, pois poucos podem se dar ao luxo de trabalhar com o que amam.

“Outro exemplo fácil disso é a desvalorização da maternidade. Ser mãe não paga salário; logo, pouco vale. Não é à toa que as mulheres emancipadas não querem ser mães de muitos filhos porque preferem ter uma inserção maior na cadeia produtiva de bens.”

Eis dos temas abordados pelo autor e que também devemos refletir: O que estamos fazendo no mundo? Existe vida após a morte? Se Deus não existir, tudo é permitido? Existe evolução moral na humanidade? Dinheiro compra amor verdadeiro?

Mais uns capítulos a frente me deparei com uma análise sobre Platão e Aristóteles. Para Platão, as imperfeições do mundo e da vida seriam fruto de incompetência do demiurgo. E passamos para a Metafísica de Aristóteles, que explora o mundo das verdades eternas e não materiais.

Também é explorada a questão “Deus existe?”, tida pelo autor como uma das perguntas mais inúteis. Mesmo assim ele faz sua tese através do pensamento do filósofo Blaise Pascal.

“Enfim, não existe esse eu verdadeiro a não ser como mais um produto nas prateleiras do mundo contemporâneo, que há muito desistiu de qualquer ideia de personalidade em favor de uma ideia com menos ônus, que é a de estilo e de felicidade a todo custo.”

Outro assunto abordado no livro é a moral ou ética, que para o autor seriam sinônimos. E que para Aristóteles deveriam ser praticados a ponto de serem espontâneos. E depois de refletir sobre esse assunto, vamos direto para o hedonismo, ou viver segundo o prazer.

Tem uma parte do livro que diz que a maioria das pessoas é um mero número da cadeia reprodutiva. E que a felicidade como meta de todos é o que destruirá o mundo. Talvez o autor esteja sendo um pouco pessimista, mas ao meu ver, essa é a mais pura realidade e o que acontece nesse momento é que surge a carência por uma espiritualidade.

No fim, a leitura fluiu de forma rápida, é um livro curto, que não se aprofunda muito, é uma leve pincelada sobre a filosofia, de forma pra que mesmo para pessoas que não sabem muito sobre o assunto (como eu) consigam ler e parar pra pensar por si mesmo.

Beijocas!

assinatura nova tábata

C.L #32 – Livros de Youtubers

Qualquer um que usa a internet conhece algum youtuber, certo? Nem todos amam ( eu estou inclusa nessa rs) mas a verdade é que 2016 está sendo o ano deles. E além de dominarem o Youtube agora eles estão escrevendo livros! A Bienal do Livro esse ano foi a prova disso, metade das atrações foram com youtubers e a Bienal ficou lotada com fãs enlouquecidos! 

E aproveitando essa onda louca, a postagem de hoje é sobre os livros que já foram lançados. Confere aí!

Eduardo Cilto

traços3 ⭐️ ” Olha, eu acho que se eu tivesse 16 anos eu teria amado essa história! Mas no auge dos meus cabelos brancos, cheia de boleto pra pagar, confesso que os personagens me irritarem com a falta de responsabilidade! A escrita do autor é muito madura e em muitos momentos encontramos mensagens de motivação e reflexão. Pela primeira vez encontrei um livro escrito por um youtuber que não foi feito para falar de si próprio e sim contar uma história…esse livro é voltado para o público juvenil, pois trás muitas situações que vivemos nessa idade e também conta com referências desse mesmo universo. Fica a dica de leitura e para presentear!” ->  Resenha completa aqui no blog <-

 

Malena

malena” Sinopse: Fala aí, povo bonito! Pra quem não me conhece, eu sou a Malena, a menina por trás do headset verde. Talvez você possa pensar: o que essa garota de vinte e um anos tem pra contar num livro? Calma! O objetivo é falar de infância, adolescência dilemas dessas idades, que só quem está passando ou quem acabou de passar vai entender. Por isso estou aqui! Com o coração aberto pra contar coisas que ainda não contei. Quero que vocês se divirtam lendo este livro, que deem algumas risadas, e tirem algo de bom. Quem sabe este livro te faz pensar diferente? Tenho certeza que vão curtir! O livro tem um espaço interativo, então não deixem de preencher e me enviar. Agora, sem mais enrolação. Chega aqui, deixa eu contar umas coisinhas…”

Taciele Alcolea

taciele alcolea” A youtuber Taciele Alcolea conta histórias desde a sua infância, como o sonho de ser uma grande empresária, o hábito de escrever todas as experiências em diários, a traumática e triste perda da avó, como conheceu o Fernando que hoje é seu marido, a paixão pelo ballet, os micos que todo adolescente paga na escola e até na faculdade, o início do canal no Youtube, a rotina de trabalho, ou seja, diversas experiências que a Taci passou até chegar onde está hoje. Um dos fatos que mais chamam a atenção na querida Taciele Alcolea e que ela mesma fala bastante é a persistência nos sonhos. No livro, ela conta várias histórias em que ela batalhou por algo que queria e não desistiu até que conseguisse, como por exemplo, a tão sonhada vaga no banco. Eu já imaginava que o livro da Taciele Alcolea seria algo biográfico e motivador, pois ela é esse tipo de pessoa, aquela que te incentiva a fazer as coisas, a sair do lugar…” -> Resenha completa no blog Amora Says. <-

Bruno Miranda

Azeitona Bruno Miranda CAPA4 ⭐️ ” Se tem uma coisa que eu procuro evitar são livros brasileiro. Isso por causa da minha quedinha pelos Estados Unidos. Amo tudo de lá; A música, os filmes, os livros… É por isso que quando peguei o livro Azeitona de Bruno Miranda não esperava muita coisa, mas confesso que me surpreendi (positivamente falando). Azeitona também tras a tona relacionamentos entre família e em algum momento o leitor vai se identificar com as situações. Bom, não vou falar muito sobre o livro, para não perder a graça, mas saiba que se você quiser dar boas risadas e se surpreender no final, Azeitona é o livro perfeito.” -> Resenha completa aqui no blog <-

Lucas Lira

lucas lira Minha-Vida-Antes-do-Invento-na-HoraSinopse: Lucas Lira tem dois canais no YouTube, o Invento na Hora e Invento na Hora TV, que “trollam” com tudo e todos: a namorada, o melhor amigo, o exame do Enem e até com ele mesmo. Neles, momentos de seu dia a dia e do cotidiano de pessoas próximas são revelados totalmente sem filtro. E Lucas ainda embarca nos desafios propostos por seus fãs: já colou a boca com uma supercola e foi “baleado” com uma pistola de ar comprimido. Mas você que está inscrito em seus canais sabe mesmo quem é o Lucas? Sabe dizer onde ele nasceu e qual foi sua inspiração para lançar um canal no YouTube? Neste livro você vai, com certeza, descobrir as respostas para essas e outras tantas perguntas.

Jout Jout

jout jout3 ⭐️”E bom, do que fala o livro? Fala de crises. Nada de história motivacional ou uma autobiografia. Inclusive no livro ela mesma fala que é muito nova para escrever uma. O livro é uma coletânea de crises que ela já viveu. São 200 páginas impressas de crise, ou se preferir encurtar o drama, 123 páginas em PDF. A Jout Jout é a única youtuber que eu assisto de vez em quando rs…eu não sou fã de vídeos, na verdade eu não tenho paciência pra vídeo hahaha…mas vez ou outra eu acabo assistindo e dou muita risada! É sério, se você não assistiu tá perdendo tempo! O que eu mais gosto nela é que ela não se esforça. Não se esforça para ser engraçada, nem ser linda, nem força ser uma pessoa que não é. E o livro não poderia ser diferente! ” -> Resenha completa aqui no blog <-

Kefera

Muito Mais Que 5inco Minutos2 ⭐️ “No começo do livro a Kéfera já avisa: ” Esse livro foi feito para quem gosta de mim ou para quem tenta gostar. Se você me odeia, não leia esse livro“. Bom, eu tento gostar, então bora lá! O livro é um encontro de todas as histórias da vida dela, desde o jardim de infância até pouco antes de gravar o primeiro vídeo, aquele da vuvuzela. A maioria das histórias vocês conseguem encontrar no canal dela do youtube. Não sei se isso foi coincidência, mas os três videos que assisti, tinha no livro. Então se você vê o canal dela, você “leu” o livro.  Ele é engraçado sim, ri em vários momentos e percebi que passei pelas mesmas situações, mas achei um pouco forçado…” -> Resenha completa aqui no blog <-

Maju

maju Maria Júlia escreveu o próprio livro, onde conta como sua vida começou – desde o seu nascimento com os pais bem novinhos – até como está nos dias de hoje, na beira de completar 18 anos. Na verdade, ela completou em junho, mas ao decorrer da narrativa, ela mesmo ressalta que possuía 17 anos durante a escrita do livro. Ela conta sobre seus micos e amores juvenis também, é claro! Ela também quem selecionou as fotos de seus arquivos pessoais e trouxe para dar vida e humor às páginas. Podemos ver Maju pequenininha, sapeca, da pá virada até a Maju de hoje, modelo e muito estilosa….Maju diz que não se tem segredo para crescer na internet, mas ser você mesmo, autêntico e transparente, deve ser o que cativa e faz com que muitos se identifiquem com você. Ela também arrisca dando pequenas dicas de fotografia e gravação de vídeo :)” Resenha completa no blog Diários de um piquenique

meu nome é amanda

amanda” O livro da Amanda vem na onda de uma avalanche de livros de Youtubers que estão sendo lançados pelas editoras. A diferença crucial entre Meu nome é Amanda e todos os outros livros do tipo é que a Amanda é transexual, e conta no livro a história da sua vida desde a infância até o lançamento do canal Mandy Candy (que na época se chamava Mandy para maiores), o que inclui — obviamente — o processo de não se reconhecer no corpo masculino e toda a transição. Apesar de ter passado por muitos conflitos e experiências dolorosas, a Amanda deixa claro que a vida toda teve muito apoio da família, ao contrário de muitas pessoas que desviam de alguma forma dos padrões sociais de gênero.” Resenha completa no blog Valkirias

separador

E ai pessoal, curtiram? Tem alguma indicação ou crítica? Conta aqui!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

24° Bienal do Livro – Ser nerd nunca foi tão legal!

E nessa última semana aconteceu a 24° Bienal do Livro em São Paulo! Para quem foi, com certeza se divertiu e saiu de lá todo sorridente. Para quem não foi, não fique triste! Eu e a Tábata passamos um dia lá juntas e contamos tudo agora!

E como foi a Bienal?

Ana: Esse foi sem dúvida o ano dos youtubers na Bienal. Olha a polêmica! No demais, foi mais organizado já que as senhas para autógrafos foram disponibilizadas antes pela internet. Tinha ônibus saindo da estação Tietê e levando gratuitamente até a Bienal. Tinha muitas pessoas com o cabelo colorido e fantasiadas de personagens. Eu me senti mal de não ter me fantasiado também 😭. Ah, outro ponto positivo foi que a praça de alimentação estava muito bem localizada e com bons restaurantes, comparando com a edição anterior. Pontos negativos: Aquele pessoal que vende assinaturas de revistas, eles deveriam ser proibidos de estarem lá. São muito inconvenientes. E faltou funcionários para passarem informações. 

Tábata: Pra quem ama livros como a gente a Bienal é o evento do ano. Esse ano realmente foi dos youtubers, quanto autor que a gente encontrou lá que eu nem sabia quem eram, mas com filas de fãs pra pegarem autógrafos rs. Mas foi também o ano do Maurício de Sousa, são 50 anos de ‘Turma da Mônica’.

O que teve de legal?

Ana: Muito marca página, painéis de fotos, estandes lindos! A Rocco estava de parabéns, sem dúvida foi o mais bonito. Conseguir autógrafo e foto da FML Pepper  foi demais também. Ah! E no estande do Itaú as crianças podiam escrever um livro que ele seria impresso na hora com ilustração, e ainda com sessão de autógrafo! Estão de parabéns pela iniciativa. 

Tábata: Assisti de perto a entrevista com o Maurício de Sousa, ele não tirou foto, nem deu autógrafos, mas respondeu as perguntas da plateia por quase uma hora. Ele está com 80 anos e disse que ainda desenha. A coisa mais linda foi ver as crianças fazendo perguntas do tipo “por que o  Cascão não toma banho?”. E no Espaço Maurício de Sousa tinham dois cartunistas fazendo os quadrinhos ao vivo.

Os estandes das editoras estavam muito bons, e por onde você passava tinha autores dando entrevistas e autógrafos. Eu também amei o da Rocco, que tinha o carrinho de malas  da Plataforma 9 3/4 para quem quisesse se sentir como o Harry Potter.

Os livro estavam com desconto?

Ana: Tava nada. Todo ano essa enganação com a gente. A vantagem são os livros infantis já que muitos estandes vendem eles por 5,00 ou 10,00.

Tábata: Dá vontade de comprar tudo, mas os preços são os mesmos, no máximo ganha um brinde por comprar o livro. Acho que a única vantagem é comprar o livro já com autógrafo do autor.

Qual foi o saldo final da Bienal?

Ana: Voltei para a casa toda sorridente nos três dias que fui na Bienal. Vi muitos autores, ganhei a sacolinha do Skoob, dei muita risada, ganhei autógrafo, comprei um livro, vi os lançamentos e tirei muitas fotos fantásticas! Tô até querendo ir na Bienal do RJ ano que vem!

Tábata: Os autores mais famosos que vi por lá foram Thalita Rebouças e Ziraldo. E os que eu queria ver eram Carlos Ruas (Um Sábado Qualquer) e F.M.L. Pepper (Trilogia Não Pare). Trouxe pra casa os livros autografados deles, sacolinha da Skoob e muitos marcadores. Pena que só tem outra daqui a 2 anos!

Confere as fotos!

separador

E vocês foram na Bienal? Conta aqui pra gente o que acharam!

Ahhhh e antes de terminar temos uma surpresa! Os primeiros 40 leitores que comentarem aqui e curtiram nossa pagina no face vão ganhar 4 marcadores cada! Então participa e avisa azamigas!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marysassinatura nova tábata

Resenha: Traços, Eduardo Cilto

traços

Autor: Eduardo Cilto – Editora: Outro Planeta      Ano: 2016 – Páginas: 272

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Quando Matheus aceitou acompanhar Beatriz na festa do colégio, jamais imaginou que terminaria a noite participando de um ritual místico (de veracidade duvidosa) para saber o que o futuro reservava para ele e a amiga. Assim que as velas que os cercavam se apagam e uma resposta esquisita encerra a cerimônia, Beatriz leva o resultado a sério e entende que deve fugir da cidade pequena para se encontrar com seu destino nas ruas da capital de São Paulo. Perdido no meio de tudo, Matheus é obrigado a repensar o que considera certo ou errado quando é convidado para participar do plano maluco de fuga e decide que precisa passar por cima dos limites impostos pelos pais para finalmente ser capaz de entender quem realmente é. Os dois amigos partem sozinhos para São Paulo e carregam consigo não somente as malas nas costas, mas também o peso de todos os problemas que achavam que estavam deixando para trás. Sem ter ideia do que estão enfrentando, Matheus e Beatriz descobrem mais sobre si mesmos, criam, quebram laços e encaram desafios que jamais pensaram que confrontariam enquanto contavam as moedas para realizar esse grande plano que iria mudar suas vidas para sempre.

” A vida pode ser muito parecida com os quadrinhos, pois ambos tem alguém controlando o que acontece; no caso você é o desenhista da sua própria história, e os traços feitos são as ações que toma para designar o rumo que sua vida seguirá. Então tenha consciência de que, a partir de agora, é você quem define o desenho que seus traços vão formar.”

Olha, eu acho que se eu tivesse 16 anos eu teria amado essa história! Mas no auge dos meus cabelos brancos, cheia de boleto pra pagar, confesso que os personagens me irritarem com a falta de responsabilidade! 

Mas uma coisa é certa, a história é bem escrita e gostosa de ler. Matheus e Beatriz formam uma dulpa que não deveriam ir na padaria juntos. Não dá pra confiar hahaha

Matheus foi um personagem que eu gostei muito. Ele é um adolescente muito  tranquilo, muito comum. Ele tem um lado nerd, tem um problema de relacionamento com o pai, é apaixonado por Beatriz, tem poucos amigos…assim, não fede nem cheira, mas ele seria meu amigo na escola com certeza! É uma pessoa muito boa e disposto a ajudar os amigos.

Agora a Beatriz…aff. Que garotinha escrota. Mimada e egoísta. Não sei como o Matheus pode se apaixonar por ela. Pensa numa pessoa que é má influência e multiplica por dez. O resultado é a Beatriz. E o pior, a Beatriz é fã de um youtuber ( pois é, eu disse que isso era o pior)  e foge de casa para encontrar ele em São Paulo. Como ela não quer ir sozinha, já que ir sozinha é chato, ela envolve o Matheus e o convence a fugir com ela. Ele vai né, adolescente apaixonado faz cada coisa.

” Ás vezes, as pessoas se deixam cegar pelo número infinito de expectativas que as cerca e acabam não percebendo que o que elas mais querem está na frente do próprio nariz, não exatamente como imaginam, mas muitas vezes de um jeito até melhor do que o esperado.”

A viagem é marcada por vários acontecimentos. Carona com drag queens, documentos falsos, youtubers sendo desmascarados, sequestro, policia, reencontros…com certeza ambos tiraram uma lição.  A escrita do autor é muito madura e em muitos momentos encontramos mensagens de motivação e reflexão. Pela primeira vez encontrei um livro escrito por um youtuber que não foi feito para falar de si próprio e sim contar uma história.

” O mundo pode ser extremamente assustador e hostil quando você é forçado a encará-lo sem estar preparado. Mas é assim que as coisas sempre acontecem.”

” – O que quero dizer é que até o Super-Homem, que é o cara mais forte do mundo, fica fraco quando encontra uma pedrinha de kryptonita de vez em quando. Você vai ficar bem, vai dar tudo certo!”

O engraçado é que esse não é um romance. Não tem momentos fofos, de carinho, declarações de amor, pegação ou beijos.  Ele se encaixa melhor em uma categoria de aventura. 

Finalizando…esse livro é voltado para o público juvenil, pois trás muitas situações que vivemos nessa idade e também conta com referências desse mesmo universo. Fica a dica de leitura e para presentear!

Até a próxima.

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: Jogos Macabros, R.L Stine

jogos macabros

      Autor: R.L Stine – Editora: Globo Livros              Ano: 2016 – Páginas: 280

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Conhecido mundialmente por seus livros de terror e suspense, com centenas de milhões de exemplares vendidos, R. L. Stine desponta no cenário da ficção juvenil pela genialidade na criação de enredos sinistros. O“Stephen King da literatura juvenil” ficou famoso na década de 1990 com a aplaudida coleção Rua do Medo. Quase duas décadas depois do último volume, Stine atende aos pedidos dos leitores e lança o livro inédito Jogos macabros, publicado no Brasil pela Globo Alt.

Tal como os outros títulos da coleção, a história se passa na velha cidade de Shadyside, nos EUA, conhecida por ser palco de acontecimentos misteriosos e aterrorizantes envolvendo os alunos da escola local. Todos na região conhecem a excêntrica e rica família Fear, e sabem também do passado terrível que os assombra. Apesar desses histórico nada promissor, Brendan Fear parece ser um garoto diferente de sua família. Gentil e simpático, o jovem vive rodeado de colegas e chama a atenção de Rachel Martin, uma garota simples, colega de classe dele.

Quando o aniversário de Brendan está prestes a chegar, ele começa a planejar uma comemoração um tanto diferente na isolada ilha do Medo, onde existe um casarão de veraneio pertencente à família Fear. Rachel é uma das convidadas para passar o final de semana no local sombrio e, contrariando os avisos dos amigos, decide ir. No caminho, coisas estranhas já começam a acontecer e, ao chegarem à mansão, Brendan dá as coordenadas para o início de um jogo que se revelará o mais mortal de todos.

Repleto de reviravoltas, Jogos macabros mantém o leitor apreensivo da primeira à última página. Como todo bom enredo de R. L. Stine, a história dá espaço a fantasmas, assassinato, traição e romance, e marca, enfim, um retorno triunfal do autor à Rua do medo.

” Só fico contente por ter descoberto o psicopata que você é ” (p. 40).

Rachel Martin trabalha em um café após o período de estudo. É durante um de seus turnos que ela é convidada para a festa de aniversário de 18 anos pelo (lindo, maravilhoso, encantador, crush eterno) Brendan Fear. Aquilo a desconcertou bastante, pois ele nunca havia se dirigido à ela. Sem nem relutar, Rachel aceita o convite e é assim que sua melhor amiga, Amy, e seu ex, Mac, enlouquecem. 

Os Fear era conhecida por ter um passado tenebroso e mistérios obscuros, o que garantia todos a distância. Ninguém era louco o suficiente para se misturar àquela família. Por esse motivo, o que não faltou foram reprovações de seus amigos. Apesar disso, Rachel já estava decidida. 

A festa, que duraria a noite toda, ocorreria na ilha do Medo na casa de Veraneio dos Fear (Essa da foto. Assustadora, não é?). Para chegar lá, um barco ficou responsável pela travessia do grupo de convidados. Já estava escuro quando chegaram. Eles são levados por uma trilha de terra em meio a mata até alcançarem a casa. Chegando lá, o grupo é surpreendido com um jogo criado pelo aniversariante: cada um, junto a sua dupla, deveria procurar objetos (take a look no que tinha na lista: pernas de corvo, tarântula viva, um dedo de múmia) escondidos pela casa descritos em um envelope que receberam ao chegar. O que eles não sabiam era que o jogo se inverteria e eles que acabariam tendo que se esconder.

” Eu não tinha como saber que o pesadelo havia apenas começado ” (p.56).

Gostei bastante do ambiente e dos personagens. Tem toda aquela turma divertida, do tipo high school. Dá uma pegada teen com suspense.

” Cada folha que soprava em meu tornozelo me assustava. Cada sombra que se movia fazia eu me encolher de medo” (p. 271).

O que mais me impressionou foi a maneira que R.L. Stine conduziu a história. Não consigo explicar o quão perfeita sua escrita é! Ele escreve cadeias que se encaixam perfeitamente nas que se sucedem. Gostei muito também do fato de não detectar aqueles tipos de parágrafos que só estão lá para encher as páginas.

Confesso que não estava esperando gostar tanto do livro. O nome parece clichê, mas podem ter certeza de que sua história não é. Pela experiência com a leitura do autor, sei que sempre tem uma surpresinha no final, mas igual a de Jogos Macabros nunca vi! Se eu já gostava do autor, depois desse livro virei fã de carteirinha!

assinatura nova luiza

⭐️ Livros que indico – Editora Planeta

E hoje tem indicação de livros! Uhul! 🎉 🎉 E dessa vez apresento apenas publicações da editora planeta! Livros incríveis que combinam com essa editora incrível! 

Cata essa indicações e seja feliz!

A garota perfeita

A Garota Perfeita4 ⭐️ “A história central é sobre o sequestro de Mia, uma jovem de 25 anos e filha de um famoso Juiz. O livro é narrado em primeira pessoa por três personagens: Eve, a mãe de Mia, o detetive do caso Gabe Hoffman e o sequestrador Colin Thatcher. Cada capitulo é dedicado a um personagem e alternam em durante o sequestro e depois. Não quero entrar em detalhes para não estragar as teorias antes da leitura. Eu mesma montei várias e no fim fiquei de boca aberta soltando um lindo ” oxeeeeeeee”.”  Tem resenha aqui no blog!

raio de sol

Raio-de-Sol4 ⭐️ ” Mas mesmo ficando chateada com essa ” enrolação” eu gostei da história. É um livro que passa uma mensagem muito bonita, que no fim você tem vontade de ser uma pessoa melhor. Eu vejo a Kate como um furação. Ela passa na vida das pessoas e muda tudo. Mostra o lado bom, mostra que devemos cuidar da nossa saúde e das nossas relações com muito atenção e carinho. Ela é o tipo de amiga que eu gostaria de ter. Ahhh! E pensa numa menina sortuda pra arrumar homem! hahaha…” Tem resenha aqui também!

Over the rainbow

over the rainbow5 ⭐️ ” Sempre gostei de releituras de contos de fadas, porque como a grande maioria cresci cercada por eles, e mesmo hoje em dia sou apaixonada por alguns que foram parte da minha infância, e fiquei bem curiosa pelo livro, não só por ser uma releitura mas por trazer personagens LGBT pra dentro de histórias que cresci amando.  Over The Rainbow é um livro que tem uma pegada de magia e realidade, são 5 contos com personagens curiosos, realistas e parte do nosso contexto social.” Resenha completa no blog My little garden of ideas

azeitona

Azeitona Bruno Miranda CAPA4 ⭐️ ” Se tem uma coisa que eu procuro evitar são livros brasileiro. Isso por causa da minha quedinha pelos Estados Unidos. É por isso que quando peguei o livro Azeitona de Bruno Miranda não esperava muita coisa, mas confesso que me surpreendi (positivamente falando). Azeitona também trás a tona relacionamentos entre família e em algum momento o leitor vai se identificar com as situações. Bom, não vou falar muito sobre o livro, para não perder a graça, mas saiba que se você quiser dar boas risadas e se surpreender no final, Azeitona é o livro perfeito.” Tem resenha aqui no blog!.

que ninguém nos ouça

que ninguém nos ouça4 ⭐️ ” Esse foi um livro que li sem pressa. É como se eu conversasse com uma amiga, tinha dias que eu lia várias páginas de uma vez, em outros lia uma ou duas…e quando ficava sem ler, sentia falta. Foi incrível o quanto me identifiquei com as ideias das autoras, os dilemas sobre a maternidade, sobre a carreira, sobre encontrar um ponto de equilíbrio. Foram pouquíssimas vezes que discordei de alguma coisa. E sei que daqui um tempo vou pegar para ler um trecho. A Leila e a Cris são mulheres que eu gostaria de ter no meu circulo de amigos.” E também tem resenha aqui!

 

Diário internacional de Babi

O Diário (internacional) de Babi4 ⭐️ ” A história é contada em primeira pessoa, por isso a todo tempo enxergamos e ouvimos pelas perspectivas de Bárbara e como nos fala no título o livro é mesmo escrito em forma de diário. Nele Babi vai anotando as datas e horas e assim nos situando sobre seus dias, pensamentos e aflições. Vou dizendo de cara que me encantei com a escrita da Chris, ela nos conduz sem que percebamos a passagem das páginas. Algo mágico para quem gosta de se entregar à leitura…” Resenha completa no blog Pensamentos Valem Ouro.

o nazista e o psiquiatra

O NAZISTA E O PSIQUIATRA4 ⭐️ ” O Nazista e o Psiquiatra narra a prisão, o julgamento, e, em muitos casos, a morte dos maiores líderes nazistas, causadores do Holocausto e outras barbaridades. P.S.: Esse livro foi composto através das anotações de todos os especialistas, de cartas dos próprios prisioneiros e dos guardas que trabalhavam no presídio. O autor fez um belo trabalho juntando as partes de forma coerente e com o tempo cronologicamente correto…” Resenha completa no blog Mais um leitor

orfão x

Órfão X” Quando garoto, Evan Smoak foi recrutado no orfanato onde vivia para fazer parte de um programa americano ultrassecreto. Rebatizado de Órfão X, ele foi treinado para ser um exímio assassino e enviado aos piores lugares do mundo para missões que ninguém mais conseguia executar. Depois de longos anos de atividade, Evan deixa o programa e usa as habilidades de agente secreto para “desaparecer” e viver para um único propósito, agora sob o codinome de “Homem de lugar nenhum”: salvar e proteger pessoas pobres e indefesas como ele havia sido. No entanto, seu passado de matador sangrento passará a assombrá-lo e também a seus protegidos. Alguém tão bem treinado quanto ele – talvez um ex-colega de programa?– está na sua cola, para tentar eliminá-lo.” ⭐️ Em breve resenha aqui no blog! 

NERVE

CAPA-Nerve” Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também.
Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo.  A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos… e perigosos.” ⭐️ Em breve resenha aqui no blog! 

separador-lápiz-3

E ai, entusiasmados para ler algum desses? Eu já li metade dessas indicações e garanto: são boas leituras!

Fico aqui aguardando o comentário de vocês!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: A droga da obediência, Pedro Bandeira

a droga da obediencia

Autor: Pedro Bandeira – Editora: Moderna                Ano: 2003 – Páginas: 192

Classificação 5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino l Americanas

Sinopse:

Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes — os Karas — enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a humanidade aos seus desígnios, aplicando na juventude uma perigosa droga! E essa droga já está sendo experimentada em alunos dos melhores colégios de São Paulo.
Esse é um trabalho para os Karas: o avesso dos coroas, o contrário dos caretas!

 

Pedro Bandeira: Gênio das palavras, inventor do mistério, dono da minha (e da de milhões de brasileiros) infância. Sem sombra de duvida esse cara é um dos meus autores favoritos! E sem sombra de duvidas “A Droga da Obediência” é o meu livro favorito.

A trama narra a história de quatro amigos (que mais tarde viram cinco), Miguél, Calú, Magrí e Crânio, que formaram um tipo de organização secreta no colégio Elite, com o propósito de investigar o que fosse; Esses são os Karas!

Os Karas se reuniam em um velho galpão, que ficava escondido no quartinho dos zeladores, e até então, nunca haviam tido uma missão de verdade. Até que em uma certa manhã o líder dos Karas convoca todos para uma reunião. Ele só não contava que nessa reunião haveria um intruso, Chumbinho: O único menino de todo o colégio Elite que sabia tudo sobre os Karas. Cada sinal, cada reunião, cada código dos Karas estava sob o conhecimento do pequeno intruso.

Depois de se “divertirem” com o mais novo integrante da turma, os Karas começam a investigar o desaparecimento de vários jovens, que parecem estar conectados. Bom, se eu continuar falando, te conto a história inteira… Te conto como os Karas, cinco adolescentes (que são considerados crianças e por isso nunca são levados a sério) descobriram uma droga que mudaria o mundo e assim o salvaram (na boa, meu sonho é viver uma aventura tipo a dos Karas, ou fazer parte do elenco do filme [sim eu ainda estou a espera do filme] ou até mesmo escrever o roteiro do filme), te conto sobre os pequenos romances que foram delicadamente inseridos na narrativa (ta parei!).

Mas, falando sério, o que eu mais gostei desse livro é que ele te faz pensar sobre até que ponto o ser humano pode chegar por poder. Eu cheguei a conclusão que aos poucos, estamos vendendo nossa humanidade por pedaços coloridos de papel, e isso me assusta!

Mas, voltando ao livro: De 0 á 5 minha nota é 5 (e vocês sabem o quanto é difícil um livro ganhar 5 em minhas mãos). O autor soube criar um plano perfeito sobre a dominação do mundo, que é um tema muito usado em desenhos e criar vilões e heróis que condizem com a realidade.

Espero que gostem da leitura e que se um dia tiverem que salvar o mundo, me chamem! Ah e não se esqueça que o vilão é aquele que você menos espera!

assinatura leticia

Resenha: Atlântida, o enigma perdido de Flystwick, Ronnyel Sanpe

ATLÂNTIDA O ENIGMA PERDIDO DE FLYSTWICK

Autor:  Ronnyel Sanpe – Editora: Giostri              Ano: 2016 – Páginas: 266

Classificação 3/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Após longos anos separados, 4 amigos reúnem-se para encontrar um enigma deixado por um historiador chamado John Flystwick. Desvendar esse enigma pode levá-los ao tesouro do rei de Atlântida, sendo isso uma prova irrefutável de que tal local existiu. Uma grande aventura repleta de acontecimentos surpreendentes e a descoberta dos maiores segredos de uma civilização há muito tempo perdida.

 

 

” – Me encontraram – sussurou penosamente para si mesmo. Mas como? Ninguém além da velha senhora sabia da sua existência. O que ele poderia ter feito para ser descoberto?
Não importava, ele tinha que fugir.”

Antes de tudo: muito obrigada Ronnyel por esse livro incrível! E muito obrigada por ter autografado ele! Meu primeiro livro com autógrafo!

Tudo começa quando as crianças Carol, Victor, Mônica e Diogo ouviram pela primeira vez a história do tesouro do rei de Atlântida, contada pelo Sr. Antônio, avô de Camila. Apesar de ficarem impressionados eles não levaram a história adiante, afinal todos acharam que era apenas uma história. Anos depois eles se reencontram no velório Sr. Antônio e descobrem que ele deixou em testamento um baú para Vitor. Para surpresa geral, dentro do baú tem um mapa para o tal tesouro! O que era uma simples história acaba se tornando a maior aventura da vida deles! Por que convenhamos, se aparece um mapa do tesouro em suas mãos, você vai atrás né?

Bom, eu vou.

” Descobrindo que o tesouro era real, ele não só descobriu um tesouro antigo. Descobriu a prova que faltava de que Atlântida realmente existiu, e que havia uma grande população no continente que afundara.”

” Essas perguntas não saíam da cabeça do rapaz. O que mais o deixava nervoso não eram as perguntas e sim a agonia de não ter as respostas para elas.”

E a jornada se torna uma missão no estilo ‘ Indiana Jones’, tem enigma, perseguição, mapa, tiroteio, descoberta de civilização…E tudo isso no Brasil! Sim! E o mais legal é que tudo acontece no nordeste. O autor soube usar muito bem as cidades para criar um clima de mistério.

” – Você mente…- grunhiu  velho. – Eu sei o que vocês querem. E digo: lá vocês não vão encontrar nada. Apenas a morte e coisas aterrorizantes. Coisas que vocês jamais viram nas suas vidas. “

Outro ponto positivo é que eu aprendi mais sobre o Brasil e as cidades. Tem uma passagem que os amigos vão na Pedra da Galinha Choca, no Ceará e rola um comentário que nesse lugar rodaram o  filme dos Trapalhões. Gente me bateu uma nostalgia…quase chorei. Eu vi esse filme! rs

E sobre a cidade de Atlântida, eu amei a ideia de como ela ainda existe e tem até um vocabulário próprio do lugar! Eu queria que boa parte do livro tivesse acontecido nela e não na  busca do tesouro. Talvez a história tenha uma continuação e isso aconteça..quem sabe 😎 Ah e os personagens…gente não consegui sentir simpatia por nenhum rs…tinha hora que eu torcia pra alguém levar um tiro ou cair num buraco hahaha..

E vocês, se interessam por cidades perdidas, tipo Atlântida? Eu acho incrível!

Fico aqui aguardando os comentários de vocês!

Beijo, outro, tchau!

assinatura nova ana marys

Resenha: A Gruta das Orquídeas, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho

a-gruta-das-orquideas-vera-lucia-marinzeck-de-carvalho

Autor: Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho      Editora: Petit – Ano: 2007 – Páginas: 296

Classificação 2.5/5 ⭐️ 🚍

Compre aqui l Submarino Americanas

Sinopse:

Nico é um rico e influente fazendeiro, ameaçado por um grupo de criminosos suspeito de praticar magia negra. Preocupado com o neto e com outras crianças, contrata um detetive particular, a quem delega a missão de descobrir quem são os culpados dos crimes hediondos ocorridos na cidade. No decorrer das investigações, acontecimentos imprevisíveis se sucedem envolvendo Antônio Carlos e Mary, espíritos socorristas que vieram para ajudar a evitar novas tragédias. Afinal, quem são as estranhas criaturas que, em nome do mal, se reúnem às escondidas, na calada da noite, em lugar tão sinistro e misterioso? Abra o livro: acompanhe o Espírito Antônio Carlos até “A Gruta das Orquídeas” e descubra tudo o que o bem pode fazer para ajudar aqueles que sofrem o assédio das sombras…

“- Nico, amo você! Do amor pode haver sexo, mas sexo não é amor! Amo você pelo espírito. É minha alma que ama a sua! Podemos viver nos amando sem sexo e nosso amor será muito mais puro, espiritual. Não conseguirei viver sem sua presença.”

Eu li o livro ‘Violetas na Janela’ da mesma autora já faz um tempo e quando vi esse livro me deu vontade de ler. O livro é psicografado pelo espírito de Antônio Carlos, e tem muitas referências ao Espiritismo. Apesar de ser católica, sou curiosa por todo tipo de religiões. Vamos à história!

Nico é um senhor de 56 anos, muito inteligente e bom administrador, tido como o maior latifundiário da região, dono majoritário das ações de uma fábrica de tecidos. Após ficar viúvo e perder seu filho, sua única alegria e o que dava significado à sua vida era seu neto Nicolas. Tinha muitos parentes, todos interessados em sua fortuna, o único em quem confiava era seu sobrinho Fernando, gerente de sua fábrica.

Dirceu, Lázaro, Tonho, Lemão e Naldo formavam um grupo intitulado Sociedade da Magia Negra, que reuniam-se em uma gruta, chamada de gruta proibida. Eles eram liderados pelo Sexto, nenhum dos cinco sabia quem era ou a aparência do chefe do grupo, nem mesmo se era vivo ou morto (ou como dizem encarnado ou desencarnado). Esse grupo estava com planos de sacrificar crianças, tendo como única determinação que elas tivessem sete letras no nome e sete anos de idade.

“- Vovô, sonho que estou sozinho num lugar fechado. Um homem de capuz com uma faca se aproxima, a faca brilha e eu grito. Outras vezes estou amarrado e em outras eu corro e o homem também corre atrás de mim. Sempre é o homem de capuz preto e não vejo seu rosto.” 

Antônio Carlos e Mary são desencarnados que foram designados para cumprir a tarefa de tentar impedir que isso aconteça e ajudar os espíritos das crianças que vieram a ser assassinadas.

Após saber de dois assassinatos, Nico fica desesperado com o destino de seu neto Nícolas, fará de tudo para que nada de mau aconteça com ele e contará com a ajuda do espírito de sua esposa Lílian.

A história não me prendeu muito a atenção, achei que enrolou muito até chegar a um objetivo, e só tem uma surpresa no final do livro. Mas achei interessante as partes do contato do mundo dos espíritos com o nosso.

“A atividade egoísta é altamente destrutiva. A atitude de um assassino é de egoísmo intenso. Beber sangue do outro querendo a energia vital para si em busca de poder é uma ação de crueldade e ele será réu.”

E você já leu algum livro desse gênero? Se tiver algum para me indicar, escreva nos comentários! Beijocas!

assinatura nova tábata